O Mineirão pode ficar impedido de receber jogos e outros grandes evento por conta de irregularidades na realização de obras. O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) ingressou na Justiça com uma ação civil pública pedindo a suspensão do local por entender que a Minas Arena, empresa que administra o estádio, não fez as adequações necessárias para atender ao público com deficiência e mobilidade reduzida.

De acordo com a Promotoria de Defesa da Pessoa com Deficiência, a Minas Arena havia se comprometido a fazer as melhorias no acesso ao estádio até o dia 31 de janeiro, antes da inauguração. O prazo foi prorrogado para o dia 31 de março, entretanto, as obras não foram feitas.

Um dos problemas identificados pela promotoria é  a falta de sinalização vertical para vagas de estacionamento de pessoas idosas. Além disso, não há bebedouros nem telefones públicos adaptados, faltam corrimões para cadeirantes, entre outros irregularidades que contrariam a convenção da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre acessibilidade e ferem leis em vigor no país.

Caso a Justiça acate o pedido do Ministério Público, o Mineirão ficará impedido, em caráter liminar, de receber a realização de jogos e eventos culturais até que os reparos sejam feitos.