A Prefeitura de Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, realiza uma ação para informar a população sobre a prevenção e o diagnóstico precoce contra a tuberculose, nesta terça-feira (11). A programação vai contar com palestra educativa e entrega de material informativo para as pessoas em situação rua. 

De acordo com a Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), no último sábado (8), uma ação semelhante foi feita juntos aos familiares e internos do Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) de Betim.  

A tuberculose é uma doença infectocontagiosa considerada sério problema mundial de saúde pública pela Organização Mundial e Saúde (OMS). O Brasil é um dos países com maior incidência de novos casos, entre os 22 países em desenvolvimento. Anualmente, segundo dados do Ministério da Saúde, acontecem 69 mil casos novos, com uma média de 4.500 mortes.
 
O Sistema Único de Saúde (SUS) possui assistência para o diagnóstico, o tratamento e fornece medicação gratuita aos pacientes. O diagnóstico precoce, a adesão e o não abandono ao tratamento contra a tuberculose são fundamentais para a cura e para reduzir a mortalidade da doença.  

Em Betim foram diagnosticados 244 casos novos de tuberculose, sendo 76 em 2014; 60 em 2015; 54 em 2016; e 54 em 2017. Todos predominantemente na faixa etária entre 20 e 59 anos. Desses casos, o encerramento do tratamento por cura foi de 71% em 2014; 62% em 2015; 61% em 2016; e 70% em 2017.

Os casos de morte por tuberculose foram de 4% 2014; 8% em 2015; 14% em 2016; e 6% em 2017.

A tuberculose também é a principal causa de óbito em pessoas com HIV/Aids. Dentre os casos novos diagnosticados por tuberculose com exame HIV positivo, que evoluíram para óbito, foram registrados 6% em 2016.
 
A doença 

A tuberculose é uma doença infecciosa e transmissível que afeta prioritariamente os pulmões, embora possa acometer outros órgãos e sistemas. O principal sintoma é a tosse seca por três semanas ou mais. Há outros sinais e sintomas que podem estar presentes, como febre vespertina, sudorese noturna, emagrecimento e cansaço/fadiga.

A forma extrapulmonar ocorre mais comumente em pessoas que vivem com o HIV/Aids, especialmente entre aquelas com comprometimento imunológico. A transmissão ocorre pelas vias aéreas, ao falar, espirrar e, principalmente ao tossir.

A principal maneira de prevenir a tuberculose em crianças é com a vacina BCG (Bacillus Calmette-Guérin), ofertada gratuitamente pelo SUS. Outra maneira de prevenção é identificar a "infecção latente de tuberculose", que acontece quando uma pessoa convive com alguém afetado pela doença. 

A tuberculose tem cura e o tratamento, que dura no mínimo seis meses, é gratuito e disponibilizado pelo SUS, sendo imprescindível obedecer os princípios básicos da terapia medicamentosa. O estabelecimento de vínculo entre profissional de saúde e paciente é fundamental para que haja adesão positiva ao tratamento e, assim, as chances de abandono serem reduzidas.

Serviço:

Ação contra Tuberculose
Dia: terça-feira (11)
Local: Centro Pop – Rua Romualda Augusta de Melo, 267, Centro - Betim
Horário: 9h30 às 11h