Pessoas que frequentam os restaurantes populares do Centro, Venda Nova e Barreiro, irão receber, nesta quarta-feira (27), orientações sobre a hanseníase, uma doença crônica infectocontagiosa causada por um bacilo. Belo Horizonte registrou 49 casos em 2015.

Esta ação faz parte de um movimento organizado pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SES), o Movimento de Reintegração das Pessoas Acometidas pela Hanseníase e a Associação Brasileira de Dermatologia.

A Luta mundial contra a hanseníase normalmente acontece na última semana de janeiro e tem como objetivo alertar a população sobre os sinais e sintomas desta doença, além de incentivar a procura pelos serviços de saúde da Rede SUS-BH.

No domingo, dia 31, às 9 horas, está programada uma caminhada na Orla da Lagoa da Pampulha. A concentração de mais uma ação do movimento que luta contra a hanseníase está marcada para ocorrer na Praça de Iemanjá.

Transmissão e como agir

A transmissão é feita por meio das vias aéreas superiores. Os principais sintomas da doença são manchas na pele, em sua maioria com alteração de sensibilidade.

Pacientes diagnosticados com a doença são atendidos nos 148 centros de saúde da capital, onde é feita a busca ativa por sintomas dermatológicos ou quando são encaminhados por outros serviços. O paciente deve ser acompanhado pela equipe do centro de saúde mais próximo de sua casa e, se necessário, pode ser encaminhado para uma referência especializada.