Ao ser parado pela polícia com a roupa toda suja de sangue, um açougueiro de 31 anos alegou que teria acabado de matar um porco na roça para tentar escapar da prisão pelo assassinato da mulher, de 33 anos. O suspeito foi abordado na BR-040, em Paracatu, no Noroeste do Estado, na noite de segunda-feira (9), pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Segundo a corporação, o homem seguia em um Fiat Palio em direção a Paracatu quando foi parado por volta das 20h30. Como o carro estava com o licenciamento vencido, ele seria apreendido.

Foi então que os policiais notaram que a roupa usada por ele tinha manchas de sangue e, após ouvirem a versão de que as manchas seriam do sangue do animal, resolveram verificar se algum crime violento fora registrado na região. 

Após consultas com outras corporações, os agentes acabaram chegando ao feminicídio, que havia ocorrido cerca de 40 minutos antes.

A princípio, o suspeito negou ter cometido o crime. Mas, instantes depois, quando percebeu que seria preso, ele acabou confirmando aos policiais que matou a esposa por suspeitar de uma traição por parte dela. 

Preso em flagrante por feminicídio, o homem acabou levado para a Delegacia de Polícia Civil (PC) de Paracatu, que investiga o crime.  

Leia mais:
Em 2018, Minas foi o Estado com mais mulheres mortas por feminicídio no Brasil
Namorado de jovem morta no Santa Amélia é preso e confessa participação no crime
Feminicídio: duas mulheres são mortas em BH neste sábado
Câmera flagrou suspeito discutindo com a ex antes de matá-la na frente da escola das filhas; assista