convite

Iniciativa informal convida para despedida

Contagem regressiva para o último check-in no Hotel Belo Horizonte Othon Palace. Daqui a 10 dias, a primeira hospedaria de luxo da cidade, erguida em 1978 no Centro da capital, encerrará as atividades em grande estilo, com todos os 295 leitos ocupados no último dia. Nesta quarta-feira (7), circulou via WhatsApp um convite informal para que ex-funcionários, hóspedes e frequentadores dos bares internos reservem uma diária no sábado (17) no hotel quarentão. 

O chamamento virtual foi ideia do executivo e consultor hoteleiro Maarten Van Sluys, gerente-geral do empreendimento em 2008. Para celebrar a perda, haverá abraço simbólico, feijoada e um café da manhã especial para um grupo de mais de 20 amigos - todos com alguma relação com o Othon. "É a oportunidade de termos, pela primeira e última vez, a experiência de se hospedar lá. Eu, e muitos de nós que lá trabalhamos, nunca dormimos no hotel", explicou. O evento está esgotado.

Na prática, a taxa de ocupação do Othon está mais alta desde que foi confirmado o fechamento. De acordo com Márcio Alves, atual gerente-geral da unidade, ainda há alguns apartamentos livres nos próximos e últimos 10 dias de funcionamento, mas não para a última diária. 

O assunto, aliás, é tabu entre os funcionários do hotel que, nos últimos 40 anos, hospedou nomes como Roberto Carlos, Ayrton Senna e o músico britânico Eric Clapton. A rede recomendou expressamente que não sejam repassadas informações sobre a reta final do Othon. Ninguém sabe ao certo o que acontecerá com o prédio. 

"A sensação é de tristeza. O Othon é a minha vida. É uma perda para a cidade", resumiu Márcio, o homem que entrou caixa de restaurante e verá o fechamento como gerente, 35 anos depois. 

A sensação que fica é de que a rede Othon, iniciada em 1943 e atualmente com unidades nos estados de São Paulo, Rio, Bahia (o prédio de Salvador será encerrado uma semana antes do que BH), Ceará, Pernambuco e Rio Grande do Norte, não gosta de assumir que está fechando um dos seus xodós. 

Últimos dias, lotação máxima

O Othon permaneceu durante 20 anos como a única hospedaria de alto padrão da  capital. Em 2018, continuava com o trunfo de dar vista para um belo e imenso  jardim: o Parque Municipal. No entanto, o diferencial ficou pequeno perto do  grande número de concorrentes. 

O futuro é incerto. No site da empresa, uma ponta de esperança: o reveillon de  2019 está lá, sobrevivente, com informações de buffet, open bar e banda, programado para acontecer no Restaurante Varadão, no 25º andar do hotel, que tem 29 pisos. Ilusão, como confirmou o Hoje em Dia por telefone.  

Há boatos de que a empresa possa ser adquirida por investidores, como a Vale, mas não há nada certo. A rede Othon não fala sobre o assunto. "O Othon não performa mal em BH. Mas, o investimento a ser feito ali, em isolamento acústico, ar condicionado e outros setores, não parece fazer sentido perante o retorno. Não creio que ali continue sendo um hotel", opinou Maarten Van Sluys, com pesar. 

Othon Palace: há vagas

R$ 180: diária mais em conta, nos leitos mais baixos e menores (30m2);
R$ 231: para andares um pouco acima e com metragem de 33m2;
R$ 276: no alto, apartamentos 'superluxo', com 46m2.

* Preços médios estimados para 1 adulto e 1 diária.

site

Um sobrevivente: o Reveillon 2019 ainda está no site oficial da rede. No entanto, o evento não acontecerá