Este poderia ser o ano em que o Parque Estadual da Serra do Rola-Moça, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, passaria incólume a um grande incêndio. Mas, infelizmente, a dois dias do início da primavera, estação que marca a transição entre os períodos de seca e chuvoso, a reserva ardeu em chamas.
 
Até o fim da tarde dessa segunda (21), quase 40% da extensão total havia sido destruída, quase 1.500 hectares. O parque é o terceiro maior do país localizado em área urbana. “Essa foi a primeira grande queimada do ano no Rola-Moça, unidade de conservação do estado onde há maior incidência de incêndios. Todo ano o parque sofre com queimadas”, afirmou o chefe da assessoria de comunicação do Corpo de Bombeiros, Thiago Miranda.
 
FORÇA-TAREFA
 
Mais de cem homens, entre brigadistas do Instituto Estadual de Florestas (IEF), bombeiros e voluntários, combateram as chamas, que tiveram início no domingo. Um helicóptero e dois aviões de lançamento de água também foram utilizados. Até então, a área queimada do parque era de 29,24 hectares, ou seja, 50 vezes inferior à registrada com a queimada desta semana, de acordo com a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad).
 
PRIMAVERA COM CHUVA
 
A previsão para a primavera, que começa nesta quarta (23), é de temperaturas altas e chuvas de alta intensidade em todo o Estado, sobretudo a partir do mês que vem. O motivo é a combinação d o fenômeno climático El Niño com a chegada de frentes frias. 
 
“O alerta é para a ocorrência de tempestades com alto volume de água, em curto espaço de tempo, em função de temperaturas até 6°C mais altas do que o normal para essa época, e da presença de frentes frias no Sudeste, já a partir de sexta-feira”, explica o técnico de meteorologia Geraldo Paixão, da Cemig.
 
No Sul de Minas, o Parque Serra da Boa Esperança teve mais da metade da área de 6 mil hectares destruída pelo fogo; o incêndio começou na sexta-feira