A dois dias do início de possibilidade de rompimento da barragem Sul Superior da mina Gongo Soco, da Vale, em Barão de Cocais, na região Central do Estado, o clima é de apreensão nesta sexta-feira (17) na cidade. Neste sábado (18), os moradores participarão de novo simulado de salvamento. 

Segundo a Defesa Civil Estadual, 6 mil pessoas vivem na área secundária de salvamento e, portanto, começam neste domingo (21) a viverem um desagradável processo de espera: precisarão ou não deixar suas casas às pressas? 

De acordo como uma comerciante do Centro de Barão - área que, incluindo os bairros São Geraldo, São Benedito, Três Moinhos e Vila Regina, está na rota do rejeito - a maior preocupação é com os idosos que vivem no setor mais antigo da região central. 

"Todos nós lojistas estamos muito tensos. Eu não acredito que exista toda essa proporção e que sejamos atingidos, mas me preocupo muito com o povo mais antigo daqui. Há pessoas acamadas. E lá o risco é grande. Como eles vão sair em uma hora de casa?", questionou a comerciante, que pediu para não ter o nome publicado. 

Além de Barão, a atenção é estendida a moradores de Santa Bárbara e São Gonçalo do Rio Abaixo, que também podem ser atingidos pela lama de rejeitos. 

Em Santa Bárbara, a 7 km de Barão, o professor Leonardo Costa, de 28 anos, morador da cidade, relata que muitos não entendem os riscos. "Aqui, uma parcela está preocupada, mas muita gente não entende que há uma previsão para o fato. Eles não acreditam que possa acontecer", contou. 

O docente mora no bairro Santa Terezinha, vizinho ao Centro de Santa Bárbara. O local está no extremo oposto da região que seria atingida caso aconteça o rompimento da barragem em Barão

"Minha família mora em áreas distintas, mas seguras, da cidade. No entanto, a preocupação só aumenta. O ideal seria que pudéssemos resolver o problema da barragem sem um rompimento e sim com uma solução alternativa", opinou. 

Entenda o caso

Cerca de 6 mil pessoas que vivem em Barão de Cocais e região podem ser afetadas caso a barragem Sul Superior da mina Gongo Soco, da Vale, em Barão de Cocais, venha a se romper, segundo a Defesa Civil Estadual. Elas vivem em uma área secundária de salvamento, ou seja, teriam uma hora para se salvarem dos rejeitos após o acionamento de uma sirene.

Além do Centro da cidade, os bairros São Geraldo, São Benedito, Três Moinhos e Vila Regina fazem parte da área que poderia ser atingida. Os moradores de Santa Bárbara e São Gonçalo do Rio Abaixo também devem ficar atentos, pois os dois municípios também podem ser atingidos depois da lama de rejeitos atingir rios da região, em especial o rio Santa Bárbara.

A barragem está em nível 3 (com risco iminente de rompimento) desde março. A possibilidade se tornou ainda maior depois que se verificou uma movimentação no talude da cava da mina Gongo Soco nesta semana, algo que poderia provocar um abalo na estrutura da barragem.

Caso haja um rompimento, os moradores das regiões secundárias de salvamento devem se dirigir a sete pontos de encontro indicados pela Defesa Civil imediatamente. A orientação é que façam o trajeto a pé, para evitar problemas no trânsito, caso os moradores façam uso de seus veículos. Veja as recomendações feitas pelo tenente-coronel Flávio Godinho, porta-voz da Defesa Civil Estadual.

Diante do risco iminente do rompimento de um talude que pode levar ao colapso da barragem da mina Gongo Soco, da Vale, a Defesa Civil de Minas Gerais anunciou que fará um novo simulado com a população de Barão de Cocais, na região Central de Minas Gerais. O treinamento está programado para o próximo sábado (18), às 15h, nos mesmo moldes do ocorrido no dia 25 de março deste ano.

Em 8 de fevereiro, cerca de 400 pessoas já haviam sido retiradas da chamada Zona de Auto Salvamento (ZAS) da barragem, depois do acionamento de sirene que alertou para nível 2 de risco. A ZAS (comunidades de Piteiras, Socorro, Tabuleiro e Vila do Gongo) fica perto da barragem e seria a primeira atingida. Esses moradores não teriam tempo de serem retirados.

Confira a lista dos pontos de encontro em Barão de Cocais:

Ponto 1 - Escola Nossa Senhora do Rosário

Ponto 2 – Fazenda Soledade

Ponto 3 – Escola Efigênia de Barros Oliveira

Ponto 4 – Escola Municipal Maria da Glória

Ponto 5 - Escola Municipal Mares Guia

Ponto 6 – Praça de Eventos José Furtado

Ponto 7 – Clube Morro Grande

Por meio de nota, a Vale informou que não há elementos técnicos até o momento para se afirmar que o eventual escorregamento do talude Norte da Cava da Mina Gongo Soco desencadeará gatilho para a ruptura da Barragem Sul Superior.

"O nível de alerta da Barragem Sul Superior foi elevado para 2 no dia 8 de fevereiro. Desde então, a Vale vem mantendo interlocução com as comunidades, prefeituras, defesas civis, empresas e demais órgãos competentes da região", afirmou a empresa, acrescentando que cava e a barragem são monitoradas 24 horas por dia.

A empresa afirmou ainda que, assim que identificou movimentação no talude Norte, na cava da mina Gongo Soco, em Barão de Cocais, paralisada desde 2016, informou imediatamente as autoridades competentes. Disse ainda que vem tomando uma série de medidas necessárias para informar a população sobre a situação na cava e na barragem Sul Superior, que fica aproximadamente a 1,5 km de distância do talude.

A Vale foi procurada para para detalhar os planos para a retirada de moradores idosos e acamados, mas ainda não se manifestou.

Leia mais:
Veja quais áreas de Barão de Cocais podem ser atingidas em caso de rompimento de barragem

Ruptura de talude em Barão de Cocais pode acontecer a partir de domingo