A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Minas Gerais (Abrasel-MG) apresentou à Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) nova proposta para o funcionamento do setor. A entidade espera que os estabelecimentos sigam funcionando durante oito horas por dia, mas em outros horários.

Hoje, bares e restaurantes da capital podem abrir as portas entre 11h e 19h. O período, segundo os comerciantes, prejudica os locais que funcionam apenas na parte da noite. Por isso, a associação pede à PBH que o funcionamento passe a ser das 11h às 15h e das 18h às 22h.

“Dessa forma a gente mantém o mesmo período de funcionamento, mas atende o setor que trabalha com almoço e o setor que trabalha a noite. A gente espera que esse pleito seja levado em consideração e que em breve a gente possa funcionar até às 22h”, disse o presidente da entidade, Matheus Daniel.

A proposta foi apresentada à prefeitura durante uma reunião realizada na tarde de segunda-feira (31) e que contou com a presença do prefeito Alexandre Kalil (PSD), do secretário Municipal de Saúde, Jackson Machado e do secretário Municipal de Planejamento, André Reis.  

"Após o encontro nós tivemos a oportunidade de conversar com o secretário de saúde e apresentamos a posição da Abrasel. Ele disse que o grande problema dos bares e restaurantes é o tempo de permanência das pessoas no local. Quanto mais tempo permanece, maior a contaminação. Então a sugerimos o horário”, concluiu em um vídeo divulgado nas redes sociais da associação.

Em nota, a PBH informou que o grupo de trabalho de reabertura gradual já recebeu o documento e analisará as propostas. O retorno à entidade será dado em até 15 dias.

Leia mais:
Maio é o segundo mês mais letal da pandemia em Minas, com quase 6.800 mortes
Professores da educação infantil começam a ser vacinados contra a Covid-19 em Ibirité, na Grande BH
Mesmo vacinados com duas doses contra Covid devem evitar viajar no feriado prolongado