Um adolescente, de 17 anos, foi agredida e mantida em cárcere privado pelo companheiro em Ibirité, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, nessa terça-feira (10).  A vítima contou aos militares que vive um relacionamento conturbado com o autor há 5 anos, com quem tem um filho.

Ela já teria fugido dele outras vezes, mas sempre é perseguida e forçada a reatar o relacionamento. Em um dos episódios de briga, ele chegou a atirar nos pés dela com uma arma nove milímetros.

A polícia libertou a jovem depois que uma tia denunciou que ela estaria trancada dentro de casa e pedindo socorro na rua Flamengo. Segundo informações do boletim de ocorrência, quando os militares chegaram ao endereço, a vítima estava em estado de choque e chorando muito. Ela pediu aos militares para que eles tirassem ela e o filho, de apenas um ano de idade, do local.

Na casa, os policiais encontraram o autor, de 19 anos, que confirmou que mantinha a jovem presa. Ele também disse que mordeu o rosto dela durante uma briga. Diante dos fatos, o homem foi preso em flagrante.

Ainda segundo relatos da adolescente, há cinco anos ela vive um relacionamento conturbado com o autor e que ele seria um homem violento e usuário de drogas. Em um dos vários episódios de agressões, ele teria atirado nos pés dela. A vítima contou que já tentou se separar, mas sempre é perseguida e obrigada a reatar. 

Desde a segunda-feira (9), ela estava trancada dentro de casa e o companheiro teria ameaçado cortar o cano do botijão de gás e explodir tudo. Ele também teria mordido o rosto dela, causando um hematoma. Além disso, ela foi agredida na cabeça e nas costas com um aparelho celular.

A jovem também acusa o companheiro de ter tentado matar o filho do casal.

A tia da vítima entregou aos militares áudios de Whatsapp com mensagens de ameaças de morte, enviados pelo suspeito. Ele teria ameaçado arrancar a cabeça dela, caso se intrometesse no relacionamento dos dois.

Por causa dos ferimentos, a jovem foi levada para atendimento médico e o filho entregue aos cuidados da mãe dela.

O caso foi encaminhado para delegacia de Betim, na Grande BH.