Quatro menores são suspeitos de matar um servidor público municipal de Governador Valadares, no Leste do Estado, para curtirem o Carnaval na Bahia com o carro e o dinheiro da vítima.

Terence Henrique Silva, de 45 anos, desapareceu na manhã de sábado (6) e o corpo foi encontrado na terça-feira (9) em uma estrada vicinal em Frei Inocêncio. Horas mais tarde, o bando foi apreendido em uma cidade do interior da Bahia.

Os quatro tem idades entre 15 e 17 anos e foram presos em Mucuri depois que testemunhas viram o carro do gerente de informática do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) circulando pela região.

De acodo com as investigações, a vítima foi abordada por volta das 8 horas quando saía de casa. A vítima iria para a Bahia com a namorada e familiares.

Os detalhes sobre a morte do servidor, que teria sido asfixiado com o próprio cinto e teve os pulsos cortados, serão divulgados em uma coletiva na quinta-feira (11). A polícia ainda quer saber como e onde os menores abordaram Silva e se outras pessoas estão envolvidas no crime.

Desaparecimento

A polícia foi avisada sobre o desaparecimento depois que namorada do servidor foi até a casa dele, no bairro Caravelas, e encontrou a mala que ele levaria na viagem revirada e alguns pertences na garagem. Ainda no sábado (6), uma pasta contendo vários documentos do servidor foi encontrada às margens da BR-418, em Teofilo Otoni.

Na terça-feira (9), depois que o veículo da vítima, um Ford Fusion, foi visto em Nova Viçosa e Mucuri com quatro ocupantes, investigadores foram para a região e localizaram o bando se divertindo no Carnaval.

Eles confessaram o crime e indicaram o local onde o corpo foi deixado. Os menores usaram o cartão de crédito de Terence e contaram que tinham a intenção de vender o carro. O corpo foi enterrado na manhã desta quarta em Governador Valadares.

Professor

Um outro desaparecimento desafia a polícia e intriga os moradores de Governador Valadares. O professor Nelcino Rodrigues Valentim, de 50 anos, foi visto pela última vez deixando uma lanchonete da Avenida Brasil, no início da madrugada do dia 29 de dezembro de 2015 e ainda não foi encontrado.

De acordo com a família, o professor saiu de casa para trabalhar em seu carro Fox 1.6 prata, de placa HMD-5256 e após sua última aula, às 22h20 daquela terça-feira (29), em um colégio da rua Marechal Floriano, e depois foi até uma lanchonete que fica no Centro, próximo à rodoviária. A partir daí não foi mais visto. O carro dele também não foi encontrado.

 

Nelcino Rodrigues Valentim está desaparecido

Nelcino foi visto pela última vez saindo de uma lanchonete em Governador Valadares

Imagens feitas por câmeras de segurança mostram que o professor deixou a lanchonete sozinho. Desde então a familia não parou de distribuir panfletos e faixas na cidade e outros estados em busca de informações. O delegado responsável pelo caso, Fábio Sfalcin, informou que as investigacoes prosseguem e várias testemunhas foram ouvidas.