Pelo menos três pessoas foram presas nesta quinta-feira (30), suspeitas de agredir e torturar duas menores na Vila Pinho, na Região do Barreiro, em Belo Horizonte. O crime teria sido praticado a mando de traficantes, que acusam as adolescentes de roubo.

Segundo a Polícia Militar, durante o patrulhamento nessa quarta-feira (29), os policiais se depararam com uma garota de 13 anos pedindo ajuda na rua. A jovem estava confusa e muito machucada. Ela contou aos policias que mora na rua há dois anos e que atualmente atuava como olheira do tráfico em um ponto conhecido como Cascaia, na Vila Pinho. 

Ainda segundo essa menor, ela estava dentro de um ônibus em companhia de uma colega, de apenas 12 anos, quando foram abordadas por um homem que as obrigou a descer do coletivo e seguir até a casa do chefe do tráfico. Elas foram acusadas de roubar uma certa quantidade de maconha avaliada em R$500,00.

Os traficantes também disseram que elas teriam roubado o aparelho celular de um policial e, que, por isso, teriam as mãos cortadas.

Num local que seria a casa do chefe do tráfico da Vila Pinho, elas tiveram os cabelos cortados com uma tesoura. Os criminosos também rasparam a cabeça e as sobrancelhas das menores com uma gilete. As adolescentes também foram agredidas com socos e chutes. Os agressores chegaram a usar um fio de luz para espancar a dupla. 

Em seguida, a menor de 12 anos foi liberada. Com as agressões, a outra menor teria desmaiado e quando acordou estava amarrada na casa. Foi quando, segundo o boletim de ocorrências, uma pessoa teria batido no portão do barracão e os suspeitos resolveram liberar a jovem. 

A menina foi levada para a UPA Diamante, no Barreiro, e sem seguida, transferida para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII em função da gravidade dos ferimentos.

A outra adolescente não foi encontrada.