Foi condenado a 14 anos de prisão em regime fechado o advogado de 48 anos que tentou matar a ex-namorada em abril de 2017, no bairro Buritis, região Oeste de Belo Horizonte. Na ocasião, a mulher recebeu chutes na cabeça e chegou a ficar inconsciente. A sentença foi proferida pelo 1º Tribunal do Júri, no Fórum Lafayette, na noite desta sexta-feira (28).

O homem foi condenado por por tentativa de homicídio qualificado (motivo torpe, meio cruel, recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio). A vítima foi ouvida, mas, a pedido dela, o juiz Leonardo Vieira Rocha Damasceno solicitou que o interrogatório ocorresse somente na frente dos jurados. 

De acordo com a denúncia, o acusado tentou matar a ex-companheira após ela terminar o relacionamento, iniciado aproximadamente um ano antes. A decisão de terminar o namoro foi tomada porque ele estaria ameaçando e agredindo a vítima.

A mulher foi atacada na portaria do prédio onde morava. Ela estava com alguns pertences do ex para entregar, mas, quando o advogado chegou, a mulher foi surpreendida com socos e chutes, foi derrubada com uma rasteira e pisoteada, inclusive na cabeça. O laudo médico registrou 31 lesões na região do pescoço e crânio. 

Algumas pessoas testemunharam as agressões e socorreram a mulher, que estava desacordada. O homem fugiu, mas foi localizado pouco tempo depois.

Defesa

Durante o julgamento, o réu confessou que agrediu a vítima, mas sem intenção de matar. “Pratico artes marciais desde os 6 anos de idade e se tivesse a intenção de matar, tinha lhe dado um mata leão; estou arrependido”, afirmou. De acordo com a defesa apresentada, o acusado “tem problema de capacidade no autocontrole”.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) abriu um processo disciplinar de exclusão contra o acusado, que já estava preso.