Aeronave que se acidentou na Pampulha matando uma pessoa 'estava com documentação em dia', diz Anac

Rosiane Cunha
rmcunha@hojeemdia.com.br
20/04/2021 às 21:43.
Atualizado em 05/12/2021 às 04:44
 (Corpo de Bombeiros/Divulgação)

(Corpo de Bombeiros/Divulgação)

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que a aeronave  prefixo PR-MLA, https://www.hojeemdia.com.br/horizontes/avi%C3%A3o-cai-no-aeroporto-da-pampulha-e-deixa-um-morto-e-dois-feridos-veja-imagens-1.833882, no início da tarde desta terça-feira (20) estava com a documentação e com o Certificado de Verificação de Aeronavegabilidade (CVA) em dia.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o copiloto, de 76 anos, morreu. O piloto, de 28, foi resgatado após ficar preso às ferragens da cabine e levado de helicóptero, em estado grave, ao Hospital de Pronto-Socorro João XXIII. A Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), responsável pela unidade, não divulga boletim médico dos pacientes.  

O terceiro tripulante, um homem de 31 anos, conseguiu sair sozinho do avião. Ele sofreu escoriações leves e foi assistido no local por uma equipe do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu).

"Os bombeiros chegaram de forma muito rápida ao acidente, evitando que a aeronave entrasse em combustão, uma vez que uma grande quantidade de combustível  foi derramada no local. Em seguida, as equipes especializadas de salvamento entraram na cabine onde os pilotos estavam presos na fuselagem. Quando abriram a porta do avião foi retirado o primeiro passageiros com escoriações leves e foi atendido pelo Samu. Após, iniciamos os trabalhos de retirada dos que estavam presos às ferragens e constatamos que um estava em óbito e concentramos no socorro do outro piloto", explicou o major Fábio Alves Dias, do Batalhão de Operações Aéreas (BOA).Corpo de Bombeiros/Divulgação 

Acidente foi registrado nesta terça-feira 

Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) já foi acionado e que as causas do acidente serão investigadas, mas os militares que trabalharam no socorro das vítimas disseram que o trem de pouso da aeronave não abriu, o que teria provocado o choque contra as árvores na saída da pista.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por