Para agregar valor à produção agrícola de Lavras a partir da pesquisa e impulsionar a inovação, a UFLA aposta no Parque Científico e Tecnológico. Nomeado como LavrasTec, o parque, de 78 mil metros quadrados, está em construção e deverá estar concluído em 2015 ao custo de cerca de R$ 38 milhões, segundo a universidade, obtidos via emendas parlamentares e recursos do Ministério da Educação.

De acordo com o reitor da UFLA, José Roberto Scolforo, uma das empresas multinacionais que irá montar seu centro de pesquisa no Lavrastec é a multinacional Agrichem, do ramo de fertilizantes líquidos para nutrição de plantas.

“Teremos outras três empresas cujos nomes ainda não podemos divulgar, nos ramos de papel e celulose, sementes agrícolas e fertilizantes sólidos”, afirma. “Vamos atrair empresas de biotecnologia animal e vegetal, tecnologia da informação e agronegócio, por exemplo, para pegar tudo de bom que tem sido produzido na universidade e desenvolver produtos, não só para os grandes como para os pequenos empreendedores”, acrescenta Scolforo.

Ainda segundo o reitor da UFLA, o projeto é aumentar o Produto Interno Bruto (PIB) regional e o valor agregado de produtos, além de aplicar a produção intelectual de professores e alunos. “O sentido da universidade pública é gerar frutos para a sociedade que a mantém”, salienta.