Dois dias depois que atiradores invadiram uma escola e provocaram um massacre com dez mortos e 11 feridos, em Suzano, na Grande São Paulo, alunos de uma escola estadual de Belo Horizonte ficaram com medo de que a tragédia se repetisse no local. Isso porque um aluno do ensino médio postou em uma rede social a foto de uma arma e ameaçou cometer um crime semelhante na instituição mineira. "Vou matar todo mundo amanhã. Tomara que a sala esteja cheia", escreveu o jovem de 18 anos.

Com a repercussão da imagem, alunos, pais e funcionários da Escola Estadual Presidente Dutra, que fica no bairro Horto, região Leste da capital, ficaram apavorados e acionaram a PM. O caso aconteceu na noite de quinta-feira (14) e, desde então, muitos pais informaram que não deixariam os filhos irem para escola. A PM foi acionada e foi até a instituição, mas com medo de represálias, os funcionários optaram por não fazer o registro da ocorrência.

Os militares, então, seguiram para a casa do suspeito, no bairro Horto Florestal e, lá, ele admitiu que fez a postagem ameaçadora. Contudo, alegou que era uma brincadeira. O rapaz disse ainda que havia recebido a foto da arma de um colega da escola, em 2017, e que não sabia se a ela era verdadeira ou réplica.

Na tarde dessa quinta-feira, o jovem resolveu postar a imagem no perfil do WhastApp. A PM abriu Boletim da Ocorrência e registrou o caso na Central de Flagrantes (Ceflan) 1.

O suspeito foi detido e, depois de assinar um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), liberado. A Polícia Civil informou que ele pode ser indiciado por incitar publicamente a prática de crime, a pena para o delito varia de três a seis meses de prisão, ou pagamento de multa. Ainda conforme a corporação, nos próximos dias será marcada uma audiência com o jovem no Juizado Criminal para análise dos fatos.

Segurança

Uma funcionária da escola disse na manhã desta sexta-feira (15) que o caso foi esclarecido e que tudo não passou de uma "brincadeira de mau gosto". "A direção informa que a polícia já tomou todas as medidas cabíveis, e ressalta que tudo não passou de uma brincadeira de super mau gosto do aluno", declarou a funcionária da escola, que optou por não revelar o nome. Além disso, ela ressaltou que as aulas prosseguem normalmente nesta sexta-feira (15).

Ainda conforme a funcionária, uma viatura da PM está no local para garantir a segurança do espaço. Procurado pela reportagem, o 16º Batalhão, responsável pelo patrulhamento da região, informou que já é procedimento padrão da corporação fazer rondas nas instituições de ensino. 

A Secretaria de Estado de Educação (SEE) não se manifestou.

Violência e pavor

Na quinta-feira (14), um estudante de Direito de 18 anos foi detido, em Manhuaçu, na Zona da Mata, após parabenizar, em uma publicação no Facebook, os responsáveis pelo massacre de Suzano. Na postagem, o estudante ainda afirmou que deveria ter feito o mesmo na escola estadual Ana Mendes Pereira Dutra, onde ele estudou. 

À noite, um jovem de 20 anos foi preso após fazer vários disparos contra um colega na porta de uma escola em Nova Lima, na Grande BH. Segundo a PM, eles eram colegas de sala na Escola Estadual Deniz Valle e se desentenderam porque a vítima estaria flertando com a namorada do autor.

Após uma discussão, o jovem teria pegado uma arma emprestada com um amigo e aproveitado a entrada dos alunos para fazer os disparos contra o colega. Ninguém se feriu.

Na quarta-feira (13), uma adolescente de 16 anos foi esfaqueada e agredida dentro de uma escola estadual da cidade de Mathias Lobato, no Vale do Rio Doce. Segundo o boletim de ocorrência, duas adolescentes teriam brigado por causa de um namorado e, enquanto uma delas era advertida pela diretora, a outra estudante foi até a casa dela e voltou acompanhada do irmão, de 15 anos, que estava com uma faca. A vítima foi esfaqueada na sala da diretora e os irmãos foram presos.

Leia mais:
Estudante de Direito posta elogio a assassinos de Suzano e lamenta não ter feito o mesmo em Minas