Se há mamãe por aí pensando em abandonar a amamentação antes do período recomendado por órgãos de saúde (seis meses), atenção! Além de fortalecer a relação com o filho, o ato pode prevenir doenças. Estudo publicado na revista científica Jama Internal Medicine, por exemplo, aponta que a lactação reduz em quase 50% a chance de a mulher desenvolver diabetes.

Combate à obesidade e até ao câncer de mama entram no bolo de benefícios da lactação. Mas, apesar de a Organização Mundial de Saúde (OMS) sugerir as mamadas até os seis primeiros meses de vida do bebê, no Brasil a prática dura, em média, apenas 54 dias, estima o governo federal.

“O excesso do estímulo de estrogênio ao longo da vida pode provocar alterações negativas no corpo da mulher. A produção de leite inibe o hormônio e o mantém (o corpo) estável”, explica Stefanie Stopato, membro do Comitê de Aleitamento Materno da Associação de Ginecologistas e Obstetras de Minas Gerais (Sogimig).

Como durante a gestação o útero aumenta de tamanho para acomodar o bebê, a médica diz, ainda, que a amamentação é o principal estímulo para que o órgão volte ao normal.

Ministério da Saúde recomenda amamentar quando e o quanto a criança quiser. Um bebê em aleitamento materno exclusivo mama de oito a 12 vezes por dia

Gasto de glicose

A produção de leite também faz com que o organismo da mãe gaste mais energia, acrescenta o presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem) - Regional Minas Gerais, Adauto Versiani. O resultado é a menor incidência de diabetes. “Melhora a função pancreática”.

Perda de peso

A mesma atividade no organismo leva, ainda, à redução da obesidade no período pós-parto. O endocrinologista ressalta que a mulher chega a perder entre 600 gramas a 800 gramas por mês com o aleitamento.

Mãe de primeira viagem, a farmacêutica Adriana Cássia Ferreira, de 29 anos, confirma os benefícios. “Nos primeiros seis meses de ama-mentação perdi cinco quilos”, diz, satisfeita.

A jovem conta ter se preparado para a lactação, assim como planejou o quarto do filho. Conta que pretende amamentar o filho ainda pelos próximos dois anos. “Assim eu cuido dele e de mim”, frisa, acrescentando que outro benefício da amamentação chama a atenção: a proteção contra o tumor de mama.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), a produção de leite reduz em até 6% a chance de desenvolver a doença. Isso acontece porque a sucção faz uma espécie de esfoliação do tecido mamário, eliminando ou renovando células agredidas.

amamentação aleitamento

Clique para salvar ou ampliar

Leia Mais:

Aleitamento materno promove crescimento cerebral de prematuros

Prefeitura de BH busca em casa leite de mães com produção excessiva