Os ambulantes cadastrados para trabalhar no Carnaval deste ano em Belo Horizonte deverão retirar as credenciais de função a partir desta quarta-feira (6) no Largo da Saideira (avenida Cristiano Machado, 3450, bairro União), na região Nordeste da capital. Prazo termina no domingo (10). 

Entre as regras exigidas para exercício da atividade, está a proibição de venda de alimentos, bebidas fracionadas e em recipientes de vidro. Segundo a Belotur, mais de 13 mil pessoas se inscreveram para trabalhar no Carnaval, número que significa um aumento de 36% em relação ao ano passado.

De acordo com a Prefeitura de Belo Horizonte, no momento da entrega, também será realizado um treinamento com orientações sobre as regras para atividade comercial nos dias de folia. A retirada das credenciais ocorrerá no horário das 8 às 17h. 

Os ambulantes cadastrados podem comparecer em qualquer um dos dias do período de credenciamento para a retirada do documento. O atendimento será feito por ordem de chegada, mediante apresentação do número de protocolo entregue na inscrição e de documento original com foto, sendo este último indispensável. Caso o ambulante não possa comparecer em nenhum dos dias, poderá enviar um representante, desde que a pessoa esteja portando documentos originais de ambos.

A credencial, pessoal e intransferível, dá ao ambulante o direito de circular pelos desfiles de blocos de rua, desde que o profissional respeite as normas descritas no edital de chamamento, divulgado em 22 de novembro de 2018. 

Assim como nas edições anteriores, a expectativa da Belotur é de que o credenciamento contribua para a movimentação financeira da capital durante o Carnaval, além de ser uma oportunidade de geração de renda para as famílias dos ambulantes.

Perfil dos ambulantes cadastrados

A PBH cadastrou 13.111 pessoas para trabalhar como ambulante no Carnaval de 2019, um número 36% maior que o do ano passado, quando 9.618 foram cadastrados. Em relação ao gênero, homens representam 52,9% dos cadastrados, enquanto as mulheres são 45,9% do total de 2019. A faixa etária com maior representatividade entre os ambulantes vai de 30 a 59 anos, com 64,3%, seguida do intervalo de 18 a 29 anos, com 29,4%. Os trabalhadores com mais de 60 anos compõem apenas 6,3% dos cadastros.

Quanto à escolaridade, a grande maioria dos cadastrados - cerca de 5.500 - possui o ensino médio completo, enquanto quase 3.000 não completaram o ensino fundamental. Aqueles que frequentaram o ensino superior representam menos de 2.000 dos ambulantes que irão trabalhar no Carnaval 2019.