Um fícus de aproximadamente 60 anos virou alvo de campanha no bairro Coração Eucarístico, na região Noroeste de Belo Horizonte. Isso porque a árvore seria cortada pela Secretaria de Meio Ambiente da capital. Para impedir a supressão, moradores da região fizeram um abraço simbólico ao redor da árvore na manhã desta quinta-feira (26). Além disso, eles acompanharam técnicos da Prefeitura de BH, que fizeram uma nova vistoria para verificar as condições da árvore.

Segundo o presidente da Associação dos Moradores do Bairro Coração Eucarístico e Região (AmoCoreu), Cassius Marcellus, a árvore tem forte apelo sentimental dos moradores e, por isso, eles querem que ela torne-se patrimônio do "Coreu". "A árvore não atrapalha em nada, nem a passagem de pedestre nem de cadeirantes. Ela está 100% saudável e só precisa de uma poda para mantê-la mais natural", garantiu Marcellus. 

Segundo ele, os técnicos garantiram que o tronco não está doente e que o corte seria realizado a pedido de uma pessoa, que fez a solicitação no site da PBH. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA) confirmou que, atendendo ao pedido da comunidade e devido a importância simbólica e ambiental do fícus, não irá cortar a árvore.

"Embora a árvore atenda os critérios de supressão de acordo com a Deliberação Normativa 92/2018 aprovada pelo Conselho Municipal de Meio Ambiente, optou-se por fazer somente a poda para equilíbrio da copa da mesma", explicou a pasta.

Para evitar danos em decorrência do fícus sexagenário, a Secretaria de Meio Ambiente informou que a árvore será constantemente monitorada pelos técnicos da Gerência de Infraestrutura Urbana da Regional Centro-Sul. "Outras medidas de controle deverão ser tomadas para minimizar os impactos que a árvore poderá causar ao passeio de pedestre, à rede elétrica e a rede de abastecimento e água e esgotamento sanitário".

Risco

Na tarde de quarta-feira (25), os moradores da região foram surpreendidos por funcionários da PBH, que foram até a avenida Dom José Gaspar para cortar a árvore. "A população se mobilizou e impediu que o serviço fosse concluído. Hoje fizemos essa ação e acompanhamos os trabalhos", explicou o presidente do AmoCoreu.

Na ocasião, a prefeitura havia dito que a raiz da árvore estaria danificando a calçada e as redes de esgoto e de telefonia do local. "No último laudo técnico foi constatada uma espécie inadequada para passeio, muito idosa, com raízes que danificam o passeio, a rua e a rede hidráulica", diz a SMMA.

E em caso de necessidade da supressão é feito o plantio de mudas mais adequadas para o passeio, como ipês amarelos ou magnólias. 

Leia mais:
Mobilização de moradores evita corte de árvore do Coração Eucarístico; veja o vídeo