Flávio Henrique era uma das pessoas mais queridas e conhecidas do universo da música em Minas Gerais. Jornalista, músico e produtor, ele trabalhou com dezenas de artistas jovens e consagrados, além de ter se destacado como integrante e produtor do quarteto vocal Cobra Coral.

Desde 2015, estava à frente da Rádio Inconfidência, promovendo uma grande mudança estética na emissora, prezando pela democracia de estilos e abrindo espaço para parceiros dos mais diferentes perfis. Após a criação da Empresa Mineira de Comunicação, passou também a comandar a Rede Minas de Televisão. 

Ele também foi um nome bastante importante no processo de retomada do Carnaval de BH, ao criar "A Coxinha da Madrasta", primeira marchinha de teor político a "bombar" entre os belo-horizontinos e vencer o Concurso de Marchinhas Mestre Jonas. 

Após a divulgação da morte de Flávio Henrique, na manhã desta quinta-feira (18), vários amigos passaram a manifestar a tristeza nas redes sociais. Até mesmo Dom Walmor, arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, e o governador Fernando Pimentel se manifestaram pelo Twitter. Confira algumas postagens:

Leia mais:
Flávio Henrique, presidente da Rede Minas e Rádio Inconfidência, morre em BH por febre amarela
Hospital confirma que músico Flavio Henrique está com febre amarela
À frente da Rádio Inconfidência, Flávio Henrique defende posicionamento político
Fusão entre Rádio Inconfidência e Rede Minas começa a se tornar realidade