O texto que publicamos agora, selecionado dentre os 12 melhores participantes do concurso "Minha História de Amor", do Hoje em Dia, conta um romance que se passou na década de 60. Quem narra a história é a neta dos protagonistas, Flávia Oliveira. 
 
"Essa história de amor não é sobre mim, mas sobre os meus avós. Aos 33 anos, João era um homem casado, porém, não se sentia muito feliz. Em um domingo do ano de 1960; João andava pela rua do bairro Santa Tereza e se encantou por uma linda jovem de olhos verdes e cabelos pretos que passava por lá. Ele, sem graça, resolveu abordar a moça com uma flor que colheu do jardim. Ela, surpresa, aceitou o presente e se apresentou. O nome dela era Geralda e ela tinha 14 anos.

A partir desse dia, João e Geralda não conseguiam mais tirar os olhos um do outro. Entretanto, esse era um amor quase impossível, pois ele era casado e ela muito nova para se envolver com um homem tão mais velho. Eles sempre tinham encontros escondidos, marcados no mesmo lugar: um cantinho do Parque Municipal. Era incrível a conexão que mantinham um com o outro. Mesmo que tivessem idade tão diferente um do outro, isso não fazia diferença nas conversas, no carinho e na compreensão que eles tinham um pelo outro. Porém, eles precisavam resolver essa história.
 
Os dois não podiam namorar escondido para sempre. Então, como Geralda era de uma família muito tradicional, ela decidiu fugir e João, terminar seu casamento. João alugou um apartamento e Geralda foi morar lá enquanto João pedia o divórcio. Após uma semana, João foi morar com Geralda e se casaram um ano depois. Durante 49 anos, eles foram casados e tiveram cinco filhos. Depois do falecimento de meu avô, minha avó vai todos os dias ao Parque Municipal e se senta onde eles costumavam ficar."
 
Flávia Oliveira Costa