A Igreja São Francisco de Assis, na Pampulha, passa por projeto de restauração e, de acordo com a Prefeitura de Belo Horizonte, deverá estar com cara 'nova' em junho de 2019. A construção, obra do arquiteto Oscar Niemeyer, é considerada um marco na história da arquitetura moderna brasileira. O investimento previsto é de cerca de R$ 1 milhão.

Segundo a prefeitura, o projeto prevê a execução de serviços de revisão e tratamento das juntas de dilatação da cobertura, a impermeabilização e a substituição do forro da nave para evitar as infiltrações. Está prevista também a limpeza das fachadas, ação necessária para a preservação das pastilhas e da azulejaria aplicadas, a recuperação do piso em mármore, pintura e substituição dos painéis de madeira.

Até o momento, já foram executados serviços de instalação dos tapumes e do canteiro de obras, proteção dos pisos e dos bens integrados (afresco, púlpito, batistério, degraus e painéis internos em azulejos), a remoção do reboco deteriorado e lixamento da pintura na laje frontal. 

Além disso, foram recuperadas as juntas de dilatação, retirado todo o forro de madeira, reformados os banheiros, instaladas caixas de drenagem e realizada a plotagem dos tapumes.

igrejinha

Investimento previsto é de cerca de R$ 1 milhão

Investimento federal 

O trabalho é executado pela Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap) com custeio do Programa de Aceleração do Crescimento das Cidades Históricas, do governo federal. O projeto de restauração foi selecionado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Segundo a prefeitura, a escolha do Iphan se justificou pela importância do bem cultural e pela urgência na execução dos serviços listados. As intervenções na igreja fazem parte dos compromissos assumidos pela prefeitura com a Unesco. Há dois anos, a agência da ONU reconheceu o Complexo Arquitetônico da Pampulha como Patrimônio Mundial da Humanidade.