A Prefeitura de Belo Horizonte informou que realizará medidas educativas para evitar aglomerações na Feira Hippie, mas poderá aplicar multas, caso o problema não seja resolvido. A administração municipal realizou uma fiscalização no local, neste domingo (22), e verificou que houve aglomerações em alguns pontos da feira, especialmente em torno de barracas de comidas e bebidas.

A fiscalização também verificou que havia muitas pessoas sem máscara, em dissonância com a lei municipal que impõe o uso obrigatório do equipamento de segurança em espaços públicos. Com as medidas educativas, a intenção do Executivo é conscientizar comerciantes e público da importância de se seguir medidas de prevenção, para conter a transmissão do novo coronavírus. 

Se o trabalho de conscientização não tiver efeito, ações mais enérgicas poderão ser realizadas, segundo a PBH. “Caso a situação persista, mecanismos possíveis para o cumprimento dos protocolos como advertência, multa e cassação da licença não estão descartados”, afirmou a PBH, em nota.

A preocupação da administração municipal é com a aproximação do mês de dezembro, período em que a Feira Hippie tende a atrair mais pessoas, em busca de compras de Natal. “É fundamental que a população se programe para as compras, não permaneça muito tempo nos locais como feiras e shoppings, evite aglomerações e siga as orientações dos protocolos sanitários. E especialmente use sempre máscaras”, orienta a prefeitura.