Os centenários fícus que embelezavam a avenida Bernardo Monteiro, na região hospitalar de Belo Horizonte, já deram lugar a troncos secos e sem folhas. Agora, as árvores sofrem mais um baque: estão sendo alvo de vandalismo.

Nesta semana, um fícus que sucumbiu à mosca-branca, que suga a seiva e mata as plantas, foi incendiado. Para controlar as chamas no tronco de aproximadamente cinco metros de extensão, militares do Corpo de Bombeiros tiveram que utilizar mil litros de água.

O fogo destruiu parcialmente a árvore, mas o vandalismo, segundo a Regional Centro-Sul, não será investigado. "Não há crime de dano ambiental uma vez que a árvore se encontrava morta", informou o órgão da Prefeitura de BH.

Conforme a regional, uma equipe da Gerência de Jardins e Áreas Verdes foi deslocada para o local para avaliação e retirada do tronco. 

Na avaliação da ativista Patrícia Calixto, do Movimento Fica Fícus, a situação expõe o descaso do Executivo com o verde da capital. "Olho com muita tristeza e decepção este fato. Isso confirma que não existe uma política de cuidado com a floresta urbana", esbravejou.

A representante do Fica Fícus lamentou, ainda, que o edital previsto pela PBH para os interessados em cuidar e manter as árvores nunca foi publicado. "Tinhamos um projeto para que elas não fossem arrancadas, para o plantio de outras espécies ao redor dos fícus, mas não foi possível. Eles (prefeitura) continuaram a podar radicalmente os fícus", completou.