A Guarda Municipal volta ao trabalho nas ruas de Belo Horizonte a partir desta terça-feira (17). A informação foi divulgada pelo secretário municipal de Segurança e Prevenção, Genilson Zeferino, após reunião realizada na manhã desta segunda-feira (16) entre representantes da Guarda e o prefeito Alexandre Kalil.

Os guardas estavam aquartelados há quatro dias, sem armas e viaturas. Na quinta-feira (12), o prefeito havia decidido pelo aquartelamento, após uma grande manifestação da categoria, realizada no dia anterior no Centro da capital. "O nosso entendimento é que a manifestação é legal, mas a greve não é devida. Para a segurança é vedado o direito de greve", afirmou Zeferino.

Ficou acertado que os guardas receberão 7,2% de reajuste, assim como os outros servidores municipais. A categoria estará contemplada no Projeto de Lei que a administração municipal enviará à Câmara Municipal, com proposta de reajuste escalonado em duas vezes

As negociações sobre as demandas especificas da categoria devem ser retomadas em fevereiro. A principal reivindicação é a incorporação aos salários as gratificações referentes a adicional de risco e a disponibilidade integral. Belo Horizonte conta atualmente com cerca de 2 mil guardas municipais.

Uma reunião entre o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Belo Horizonte (Sindibel), o comandante da Guarda Municipal Rodrigo Sérgio Prates, e os integrantes da corporação também aconteceu na tarde desta segunda (16), na sede da Guarda."Continuaremos com atividades da Guarda tão logo seja possível a reorganização pelo retorno", afirmou o comandante Prates. 

De acordo com o presidente do Sindibel, Israel Arismar, além da questão salarial, está em pauta um debate sobre a vocação da Guarda Municipal em Belo Horizonte. "Está em discussão qual é o papel da Guarda, se é de força de polícia ou se retorna para o papel anterior como guarda patrimonial", afirmou. 

Após a reunião com a categoria, os guardas decidiram suspender a assembleia que aconteceria nesta terça-feira (17), e retomar o processo de negociação com a prefeitura em fevereiro. 

Leia mais:

Guarda Municipal instaura processo e afasta 11 agentes que participaram de manifestação em BH
Governador Romeu Zema determina que PM assuma guarda patrimonial em BH