Uma reunião com os pais de alunos do Colégio Magnum, na unidade Cidade Nova, na região Nordeste de Belo Horizonte, está marcada para a manhã desta segunda-feira (7). A diretoria da instituição vai se encontrar com os responsáveis pelos estudantes da mesma turma na qual uma criança de 3 anos teria sofrido abuso sexual. O caso é investigado desde a semana passada pela Polícia Civil.

Segundo boletim de ocorrência, de 28 de setembro, a mãe foi até uma delegacia para denunciar que o filho teria sido violentado por um ajudante de professor do tradicional colégio particular da capital. No depoimento, a mulher alegou “que seu filho ficava tentando beijar sua boca, atitude não comum entre mãe e filho” e que, ao questionar o comportamento, ele respondeu que teria aprendido isso com o suspeito.

Ainda de acordo com a mãe, o aluno "foi forçado a tocar no pênis do autor e que o autor tocou no pênis da vítima”. De acordo com a Polícia Militar, a mãe voltou a questionar a criança, que, por sua vez, fez gestos indicando que teria feito sexo oral com o rapaz. À frente do caso está a Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Dopcad). 

Por meio de nota, o colégio informou que, "a direção da escola ouviu os relatos dos pais sobre a mudança de comportamento do filho e sobre a conduta de um colaborador. Imediatamente, foram colocadas à disposição da família as assessorias jurídica e psicológica, e o profissional envolvido foi afastado de suas funções para auxiliar na transparência das apurações".

Confira a nota do Colégio Magnum na íntegra:

Nesta sexta-feira, 4 de outubro, a direção da escola ouviu os relatos dos pais sobre a mudança de comportamento do filho e sobre a conduta de um colaborador. 

Imediatamente, foram colocadas à disposição da família as assessorias jurídica e psicológica, e o profissional envolvido foi afastado de suas funções para auxiliar na transparência das apurações.

No domingo, todos os gestores e coordenadores de Ensino e Formação da instituição estarão reunidos para estabelecerem medidas de apoio aos familiares e ao corpo discente, em relação ao caso. Também foi agendada uma reunião com os pais da turma do aluno, que será realizada na segunda-feira, 7 de outubro.
 
A instituição está à disposição dos órgãos competentes e empenhada para que tudo seja esclarecido com urgência e celeridade.

Leia mais:
Polícia Civil investiga abuso sexual de aluno de 3 anos no Colégio Magnum