As irmãs Doris e Judite Marques, de 44 e 38 anos, respectivamente, sempre se orgulharam de produzir festas com carinho e qualidade no serviço e no produto ainda quando eram funcionárias de buffets e afins, há duas décadas.

O tempo voou, e as belo-horizontinas, unidas desde a infância, abriram o próprio negócio, o Buffet Marques, empreendimento familiar que realizou eventos para até 400 convidados. 

“Trabalhar com festa é realizar sonhos, e é de uma responsabilidade muito grande. Tem gente que junta dinheiro o ano inteiro para fazer uma festa. Se o cliente sonha que, na festa da filha dele, vai ter uma forminha cor-de-rosa com o doce vermelho, eu preciso que esteja daquele jeito. Na hora que ele chegar, a primeira coisa que ele vai olhar é isso. A gente tem que entregar tudo com essa perfeição, essa dedicação”, contou Doris.

As irmãs fundaram a empresa há seis anos, tendo como trunfo uma bagagem cheia de experiências na área. O buffet produzia delícias para festas infantis, de debutante, casamentos, convenções empresariais, entre outros. Eram três eventos por fim de semana. 

Até que chegou a pandemia de Covid-19, que assustou, mas as irmãs se adequaram ao período, se reinventaram e saíram fortalecidas. O Buffet Marques, que chegou a ter equipes de até 60 pessoas, priorizou o círculo de convivência: Doris, Judite e o marido, e um sobrinho. Os grandes banquetes, com DJ’s e garçons, viraram apetitosos kit-festas entregues via delivery, que ajudaram a manter as contas em dia, e satisfizeram a saudade dos clientes isolados pela sensação de estar em festa, mas em casa.

As duas não abriram mão do respeito às regras de prevenção ao coronavírus, jamais toparam eventos clandestinos e, na atualidade, seguem à risca o protocolo sanitário de BH. O mesmo cuidado está em cada doce ou empadinha, a especialidade da casa, feita por Doris - que morou alguns anos em Portugal, onde se aperfeiçoou em restaurantes e outros buffets.

Home fest

Atualmente, elas atuam em “home fest”, eventos em que o próprio contratante aluga um espaço. “Não passamos de 30 pessoas porque, caso contrário, teríamos que contratar funcionários e, assim, nos expormos (ao risco da contaminação) com quem não temos convivência”, contou Judite, que cuida da área comercial e também apoia no serviço de garçonete. Para o futuro, as duas querem comprar o próprio salão.

Com a pandemia dando sinais de que está sendo controlada, o que as irmãs mais querem é voltar a ver os sorrisos dos clientes satisfeitos, mas com eventos maiores. "A esperança está na população, cada dia mais vacinada", destaca Doris.

E a expectativa é muito boa para este fim de ano, com eventos em empresas e até em domicílio. "Nosso interesse festivo começou há um tempinho. Eu tinha 12 anos quando já acompanhava Doris no primeiro emprego dela, em um buffet. Eu ia e ficava ajudando", lembrou Judite destacando que o Buffet Marques está preparado para o futuro, com muita bagagem na área, fazendo festas com carinho e qualidade.