Dezenove viaturas do Rotam, dois pelotões do Choque, tropas do 22° Batalhão, Cavalaria e grupamento aéreo. Esse foi o efetivo presente no Aglomerado da Serra, região Centro-Sul de Belo Horizonte, no fim da tarde desta segunda-feira (1).

Mais de cem militares participaram da operação, que seria "pontual", segundo a PM. Por volta das 17h30, a corporação reforçou as ações desenvolvidas na região, mas negou que o bairro foi "ocupado" pelas forças de segurança, conforme chegou a ser especulado.

O local de encontro dos militares foi a Praça do Cardoso. De lá, as viaturas seguiram para vários pontos da região. A maioria dos acessos estava sendo monitorada, mas nenhum foi fechado.

Tiros

Durante todo o dia, várias abordagens foram feitas em carros, motos e pedestres. Por volta das 15h, um homem que andava pela rua da Água, na Vila Marçola, chegou a trocar tiros com militares.

Segundo a polícia, o rapaz teria fugido ao ver uma viatura. Em seguida, ele efetuou dois disparos. O rapaz foi identificado, mas conseguiu fugir. Ele tem passagem pela polícia por tráfico de drogas. Ainda conforme a PM, o suspeito largou uma mochila em uma das vias. Os militares foram até a casa dele.

Dentro da mochila e na residência foram encontrados R$ 1.130, uma balança de precisão, 24 buchas de maconha, oito munições calibre 12, dez munições de Ponto 40 e um carregador de uma pistola.

No início da noite desta segunda-feira a situação é mais tranquila. Viaturas rodam pelo bairro e há poucos militares na Praça do Cardoso. Moradores evitam falar sobre o assunto. Até o momento, ninguém foi preso. Não há previsão para as ações serem enceradas.