A Polícia Civil prendeu na madrugada deste domingo (19) três homens suspeitos de aliciarem adolescentes para a prática de prostituição, em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O caso foi descoberto depois que duas jovens de 17 e 18 anos foram executadas nesse sábado (18). Elas estariam em uma festa em um sítio na cidade. Uma terceira jovem de 15 anos foi baleada, fingiu estar morta morta e sobreviveu. A polícia ainda procura pelos executores do homicídio. Eles seriam “clientes” do espaço ilegal.

Segundo a Polícia Civil, testemunhas contaram que as adolescentes participavam de uma festa no sítio, local conhecido por muitos eventos, ponto de prostituição e tráfico de drogas.

Na ação da PC, foram presos em flagrante o proprietário do sítio, o suposto aliciador e o “gerente” do espaço. Eles responderão pelo crime de aliciamento de menores para prostituição. Outros dois homens foram conduzidos até a Delegacia de Polícia Civil de Betim. Eles foram ouvidos e liberados.

A polícia procura por outros três suspeitos. Segundo a corporação, eles seriam frequentadores do espaço. A suspeita é a de que um deles tenha ficado insatisfeito com a negativa de uma das adolescentes em manter ralação sexual, o que pode ter motivado os assassinatos.

Dinâmica do crime

A PC informou que cada uma das adolescentes foram agredidas e deixadas em pontos diferentes da cidade. De acordo com a corporação, a jovem de 15 anos teria sido a primeira. Ela tomou um tiro no peito e fingiu estar morta e conseguiu escapar. Em outro ponto próximo a garota de 17 anos foi atingida por dois tiros, sendo um na cabeça e outro na mão. A terceira jovem de 18 anos foi localizada às margens da MG-060, onde nove cápsulas de revólver foram encontradas.

A Polícia Civil informou ainda que durante vistoria no imóvel foi localizado drogas e muita bebida alcoólica. Até o fechamento desta reportagem, os executores do crime não haviam sido presos.

Leia mais:
Adolescentes são raptadas e ameaçadas em Betim; duas morreram e uma sobreviveu fingindo de morta