Após a decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), que determinou nesta segunda-feira (20) a reabertura de bares, restaurantes e lanchonetes de Belo Horizonte, o presidente da Abrasel, associação que representa o setor e que entrou com a ação na Justiça, disse que recebeu a notícia da decisão com alegria, mas muita cautela.

Segundo Paulo Solmucci, o setor tem condições de abrir com responsabilidade. "A nossa intenção não é abrir imediatamente. Nós queremos divulgar os protocolos para que todo mundo procure se ajustar e o consumidor consiga conhecer esses protocolos".

Comércios como bares e restaurantes foram os mais atingidos desde o início da pandemia do novo coronavírus e estão há 125 dias de portas fechadas por determinação da prefeitura, que estabeleceu uma série de medidas sanitárias para evitar a propagação da Covid-19. "O prefeito Alexandre Kalil estava abusando da autoridade, mantendo o setor por tanto tempo fechado. Esse tempo é um recorde mundial negativo por uma ausência de um plano de retomada", explicou Solmucci.

Apesar da liberação, o presidente lembra que todos os consumidores também devem fazer a sua parte. “Cada um tem que respeitar o outro. Tem que cuidar de não sair de casa com sintomas, usar a máscara. Tem que respeitar o distanciamento de cadeiras ocupadas. Respeitar os protocolos”, orientou.

Reunião

Paulo Solmucci aunciou que vai se encontrar com representantes da Prefeitura de Belo Horizonte nesta terça-feira (21). A reunião foi costurada pelo líder de governo na Câmara Municipal, vereador Léo Burguês (PSL). "Se amanhã o diálogo fluir, nós entendemos que será um grande pacto social para a retomada de todo o comércio da capital", ressaltou. 

O presidente da Abrasel disse ainda que a manifestação convocada para a próxima quarta-feira (22) está mantida, porque acredita que esse é "um movimento para toda a cidade, um plano viável de retomada das atividades, como foi feito nas cidades de todo país", concluiu.

A Prefeitura de Belo Horizonte informou que foi notificada e já recorreu da decisão da Justiça. Nossa reportagem tenta a confirmação da reunião pela PBH e aguarda retorno.