"Nós vamos permanecer aqui o tempo que for necessário", disse o coronel Robson Queiroz, comandante do Comando de Policiamento Especializado (CPE), durante operação na manhã desta quarta-feira (3), no Aglomerado da Serra, na região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Desde a semana passada, o conflito entre organizações criminosas que disputam o controle do tráfico de drogas na comunidade se agravou, com tiroteios constantes.

Nesta quarta-feira, cinco pessoas foram conduzidas em flagrante, sendo dois menores. Além disso, foram apreendidas duas pistolas calibre .40 mm, uma pistola calibre .9mm, munições, três carregadores e drogas.

Por causa dos confrontos no complexo de vilas e favelas, as aulas na Unidades Municipais de Educação (UMEIs) Capivari e Padre Tarcísio foram paralisadas e só irão retomar após o carnaval.

O atendimento no Centro de Saúde do Cafezal é realizado de forma improvisada, por causa das ameaças feitas por traficantes. Para atender aos dois lados em conflito e garantir a segurança de moradores e funcionários, o serviço foi dividido entre territórios.

A operação envolve militares do Gate, Rotam, Batalhão de Choque, Cavalaria, Rádio Patrulhamento Aéreo e também da Guarda Municipal que fornece apoio nas áreas mais afastadas do aglomerado. "Fizemos uma incursão em vários pontos da comunidade que está instalada no aglomerado, envolvendo várias unidades da polícia militar, com abordagem de várias pessoas", afirmou Queiroz.