Minas espera manter, após a pandemia, cerca de 800 dos 2.729 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) abertos para tratamento de pacientes com a Covid-19. Para isso, o Estado planeja realizar o financiamento com recursos próprios, até que sejam habilitados pelo Ministério da Saúde.

O objetivo, segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), é fortalecer a rede de atendimento aos pacientes graves em todas as regiões de Minas.

“Há uma expectativa que dentre os mais de 2.500 leitos abertos, cerca de 800/850 sejam permanentes na rede, fortalecendo, quando passar a pandemia, a rede do paciente grave. Então, trouxemos esse pleito (para Brasília). O Estado vem se planejamento para financiar com recurso próprio, mas é muito importante que haja uma habilitação a posterior para que eles sigam”, disse o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, em entrevista à Rádio Itatiaia.

Ainda conforme informou o titular da pasta, a expectativa é de em que até um ano o Estado receba a habilitação. “Estamos fazendo um planejamento, colocando dentro do orçamento do Estado, mas a nossa expectativa é trabalhar em um ano até conseguir essa habilitação. Então estamos nessa análise técnica de quais os leitos, quais regiões e por quanto tempo iremos manter”, concluiu. 

Leia mais:
Covid: Minas pode iniciar vacinação de adolescentes em setembro, diz secretário de Saúde
Com mais de 100 anos de história, Colégio Imaculada Conceição encerrará as atividades em BH
Vacina contra a Covid é aplicada em mulheres de 35 anos nesta quinta, em BH; veja o cronograma