A embaixada da Austrália e a Cruz Vermelha de Minas Gerais firmaram uma parceria nesta segunda-feira (6) para ações humanitárias de combate à Dengue no Estado. O acordo prevê a doação de barracas que serão utilizadas em atividades de campo para o mapeamento de comunidades afetadas pelo Aedes Aegypti, mutirões de limpeza, distribuição de produtos e materiais como inseticidas, ações de saúde, prevenção e conscientização.

Para oficializar a cooperação, o embaixador do país Timothy Kane esteve em Belo Horizonte, na sede da instituição, mas o trabalho em conjunto começou no último sábado (4)~, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Segundo o embaixador Timothy Kane, esse tipo de apoio já é feito em países como Chile, Colômbia e México e aqui vai ser exatamente igual. “O programa nos ajuda a fazer a diferença em países como o Brasil, porque não podemos fazer projetos muito grandes, mas sim de impacto real, que melhore a vida das pessoas”, explicou kane.

A aproximação entre o governo da Austrália e a Cruz Vermelha se deu após o rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho, em 25 janeiro, que até agora já deixou 236 mortos e 34 pessoas desaparecidas, segundo a Defesa Civil. A entidade atuou no resgate às vítimas com 50 socorristas, cães farejadores e acolhimento das famílias. 

Tecnologia

A Cruz Vermelha está cadastrando famílias em Minas com o uso do aplicativo próprio ODK, que faz o georeferenciamento dos casos de doenças envolvendo o Aedes aegypti. A tecnologia permite o acompanhamento continuado das comunidades afetadas. Além da dengue, traz preocupação à entidade a incidência de contaminações por febre amarela, zika e chikungunya, transmitidas pelo mesmo mosquito.

De acordo com o último boletim da Secretaria de Saúde de Minas, o Estado já registrou 165.853 casos confirmados e suspeitos de dengue. Até o momento, foram 21 mortes pela doença confirmadas neste ano. Os óbitos foram registrados nas cidades de Arcos (1), Betim (7), Frutal (1), Ibirité (1), Paracatu (1), Uberlândia (8) e Unaí (2). Outros 66 estão em investigação por dengue.

Em Belo Horizonte são 7.764 casos confirmados da doença e 25 mil em estudo.

Leia mais:
Vírus tipo 2 e hábito de 'guardar' água sem cuidado podem ser as causas de surto da dengue em Minas
Atendimento a dengue em Belo Horizonte será reforçado com militares do Exército