Uma criança de 10 anos acabou morrendo após ter sido baleada acidentalmente por um adolescente de 17 anos em uma localidade conhecida como Córrego Marreco, zona rural de Simonésia, na Zona da Mata. Uma espingarda do tipo polveira foi deixada ao alcance dos jovens e, por curiosidade, o menor pegou a arma e acabou atingindo a criança. 

Segundo o tenente Marcos Roberto Vieira, comandante do pelotão de Simonésia, era comum que os jovens, após deixarem a igreja, se reunissem na casa de um deles para ter aulas de música. Porém, nesse domingo (6), ao fazerem isso, uma arma deixada em cima da mesa de sinuca instigou a curiosidade do grupo. O dono da casa havia esquecido a espingarda no local antes de sair.

O adolescente de 17 anos contou que ficou curioso com o objeto e o pegou para manuseá-lo, quando acionou a tecla do gatilho e acabou atingindo o peito da criança de 10 anos. A vítima chegou a ser socorrida e levada para o pronto-socorro da cidade, mas não resistiu e acabou morrendo na unidade. 

Depois do ocorrido, o pai do adolescente o levou para Manhuaçu, com medo de que ele sofresse alguma represália. Mas, após os militares entrarem em contato com que ele, dizendo que se tratou de um homicídio culposo (quando não há intenção de matar), e que por ele ser menor não seria preso, os dois se apresentaram à polícia e foram encaminhados à delegacia de Manhuaçu. 

O adolescente foi apreendido, assim como o que restou da arma. É que, após o incidente, o filho do dono da casa ficou tão nervoso que acabou destroçando a espinagrada, segundo o tenente Marcos Vieira. Já o pai dele, o dono da casa e da arma, fugiu e não foi mais localizado. Ele não possui licença para o porte de arma de fogo. 

Leia mais:

Registro de arma sobe 280%; Bolsonaro promete decreto para facilitar posse
Policial Militar mata ex-esposa, atira no tio dela e tira a própria vida em Nova Lima