Após terem sido adiadas, as aulas da rede pública em Brumadinho, na Grande BH, voltaram nesta segunda-feira (11). O início do ano letivo foi afetado pelo rompimento da barragem da Vale, no último 25 de janeiro. 

A preocupação maior era com crianças que residem na zona rural e estão com acesso dificultado, já que o principal caminho está impedido. O município informou, no entanto, que realiza o transporte escolar. Já a Vale tem disponibilizado ônibus para o transporte da população de Casa Branca e Córrego do Feijão.

Na sexta-feira (8), em reunião com os professores, a secretária municipal de Educação, Sônia Barcelos, destacou a necessidade de voltar à rotina e oferecer apoio e conforto durante a execução dos trabalhos. “Cada um sabe da sua fraqueza, pois ninguém é forte o tempo inteiro, mas sabemos a importância de nos oferecermos como apoio”, disse.

As aulas nas duas unidades de ensino privadas da cidade retornaram normalmente no dia 4 de fevereiro.

Impacto

De acordo com balanço divulgado nesse domingo (10), o número de mortos na tragédia subiu para 165. Dentre eles, 156 foram identificados pelo Instituto Médico Legal (IML) em Belo Horizonte. Outros 160 continuam desaparecidos, sendo 38 funcionários da Vale e 122 terceirizados ou pessoas da comunidade. 

Duas vítimas resgatadas ainda se encontram hospitalizadas, enquanto 138 atingidos estão desabrigados.

Leia mais:

Ponte destruída por lama começa a ser restaurada, mas obra durará três meses

Turistas e moradores ignoram restrições e procuram áreas atingidas em Brumadinho

Sobe para 165 o número de mortos na tragédia de Brumadinho