Aprender matemática, geografia e história, só para citar algumas disciplinas, em outro idioma, e desde cedo, torna o domínio da língua estrangeira algo natural.  Não por acaso, o ensino bilíngue é a bola da vez nas escolas. Importante diferencial nas instituições que oferecem a educação básica, a metodologia aumenta até as chances de inserção no mercado de trabalho após a formação superior.

Diferentemente dos colégios internacionais - que adotam o currículo e o calendário do país de origem -, o modelo bilíngue usa o inglês, por exemplo, integrado a outras matérias. Na ponta do lápis, o professor pode mesclar o aprendizado sobre a descoberta do Brasil em português e no outro idioma.

M2O modelo bilíngue usa o inglês, por exemplo, integrado a outras matérias


Para educadores, a modalidade garante ao aluno acesso a mais informações científicas e culturais. O método, garantem, tem se tornado cada vez mais necessário. Coordenadora do Núcleo de Pós-Graduação e Pesquisa (NPP) das Faculdades Promove e Kennedy, Kimberly Marie Jones lembra que 95% da ciência produzida no mundo está em inglês.

"Além disso, um ensino em duas línguas faz com que o estudante entenda formas de expressão em outros países, aplicando o idioma na prática", diz a docente, que tem publicações na área de Educação Internacional. "Quando o aprendizado é pelo modelo bilíngue, a criança consegue compreender que há várias maneiras de abordar o mundo", acrescenta.

Desde cedo

Uma das instituições que adota o modelo em Belo Horizonte é o Colégio M2, referência desde a educação infantil até a preparação para o ensino superior. A metodologia bilingue é mais um diferencial da escola, que já adota o sistema de ensino Bernoulli.

"Desde os 2 anos, os alunos também aprendem em inglês. Não é como antigamente, que tinha alguns horários específicos. São atividades interdisciplinares alicerçadas nas propostas de metodologias ativas, favorecendo de forma ampla a aquisição e a fluência do Inglês.“, explica Emiro Barbini, fundador da colégio e presidente da Federação dos Estabelecimentos de Ensino de Minas Gerais (Fenen-MG). Para ele, é um investimento para o futuro do estudante. "Candidatos que falam fluentemente outro idioma estão sempre à frente para as empresas", observa. 

O Colégio M2 está inaugurando três novas escolas na capital. As novas unidades serão inauguradas no começo de 2020 no Centro (Av. João Pinheiro), nos bairros Prado (Oeste) e Rio Branco (Venda Nova), com adoção do material da Universidade de Cambridge.

As matrículas para a Rede M2 estão abertas. Para mais informações, acesse www.redem2.com.

Leia mais:
Nota da escola no Enem é decisiva para novas matrículas