Cerca de 150 aprovados no ultimo concurso público da Polícia Civil estão acampados desde as 5h da manhã desta segunda-feira (28) na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), no bairro de Lourdes. Segundo o concursado Hugo Leonardo Duarte, os manifestantes não tem previsão para deixarem o acampamento, mas que pretendem ficar no local até o resultado de uma audiência pública que visa debater as solicitações do movimento, marcada para terça-feira (29) na ALMG.

Os candidatos aprovados teriam sido chamados pela Academia de Polícia Civil de Minas Gerais (Acadepol) e não foram nomeados pelo governo, de acordo com Hugo. “Queremos falar sobre a nomeação dos mil candidatos que já foram escritos na Acadepol. O governador nos prometeu que seriam nomeados 1000 agora e 1500 depois”, afirma o concursado.

Hugo conta ainda que vários aprovados foram convocados e se mudaram do interior do Estado para Belo Horizonte. No entanto, essas pessoas não foram efetivadas no cargo e, por isso, estão arcando com os custos de moradia sem estarem, de fato, empregados. “Agora o governo abandona essas pessoas, muitos aqui vieram do interior, largaram tudo lá e estão aqui a deus dará”, conclui.

Reivindicações

O movimento S.O.S Polícia Civil, que é composto pelos aprovados no último concurso da Policia Civil e que ainda não foram nomeados pelo governo. Foram 2.500 investigadores aprovados e que deveriam ser chamados para diminuir o déficit de 5 mil agentes que o Estado possui atualmente. Ainda segundo os aprovados, a justificativa da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) é que a efetivação de todos os aprovados no concurso seria onerosa demais para o Estado nesse momento de baixa arrecadação.