Um memorial em homenagem às vítimas do rompimento da barragem Mina do Feijão, em Brumadinho, na Grande BH, deverá ser erguido em um terreno da igreja católica da cidade. Um mês após a tragédia que deixou centenas de mortos, o arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, Dom Walmor de Oliveira, deu a notícia sobre o novo monumento, cujo nome será "Minas de Esperança" e terá cinco sinos, com aproximadamente 20 metros de altura. Os nomes das vítimas também serão gravados na estrutura.

Com previsão inicial de terminar a construção até outubro deste ano, o local deverá tocar os sinos todos os dias, às 12h28, horário da tragédia no dia 25 de janeiro. A manifestação é uma forma homenagear as vítimas do desastre da barragem, administrada pela mineradora Vale. Até a tarde desta segunda-feira (25), outras 131 pessoas ainda estavam desaparecidas.

"A construção tem o objetivo de reverenciar todas essas pessoas que partiram. Essa dor não pode ser esquecida, ela precisa se transformar, todos os dias, na lembrança. Não como martírio, mas como experiência de aprender que a vida é um dom precioso", disse o religioso, que presidiu o momento de oração da pedra fundamental que servirá como ponto inicial de construção do templo no Centro de Treinamento de Líderes Dom José Dalvit.

Segundo ele, também será construída uma capela, de Nossa Senhora do Rosário. Os novos espaços, que resguardarão a cultura do povo do Vale do Paraopeba, deverão contribuir não só para a perpetuação da fé, mas para trazer fiéis à cidade. "Vamos incrementar um novo caminho de valorização de tantas coisas bonitas que o Vale tem e não são suficientemente valorizadas. Vamos fazer renascer, aqui, um grande jardim, renascendo a partir de uma nova Minas Gerais", garantiu o arcebispo. 

O memorial 

O projeto do memorial foi apresentado na noite desta segunda-feira (25) a cerca de 1 mil fieis que lotam o templo. Uma estrutura com telão e tenda também foi montada para a celebração da missa de 30° dia do desastre. Em vídeo, a Arquidiocese de Belo Horizonte dá detalhes de como será a estrutura.

Segundo a entidade, o monumento terá a representação de três mãos que deverão segurar a cruz, símbolo da Arquidiocese. No centro, uma fonte de água, com um globo terrestre, darão destaque a Brumadinho.

Confira:

Leia mais:
Mesmo no Carnaval, PM garante ter como agir em caso de evacuações de emergência por barragens
Justiça nega pedido à Vale para retomada de atividade em estruturas com risco
Por indenização em Brumadinho, estelionatário usou documento de pessoa que morreu há dez anos
Após um mês de trabalhos intensos, Bombeiros garantem que não há previsão para término das buscas