A Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa vai cobrar da Fundação Renova uma atualização do andamento das ações de reparação da Bacia do Rio Doce, afetada pelo rompimento da Barragem de Fundão, em Mariana, em 2015. Em audiência pública realizada nesta segunda-feira (26), a partir das 9h30, os deputados também pretendem se inteirar sobre a saúde da população da bacia, a qualidade da água e as condições do pescado na região.

Autora do requerimento da reunião, a deputada Beatriz Cerqueira (PT) tem cobrado transparências nos relatórios e estudos sobre a qualidade da água em Mariana, bem como o andamento das ações de reparação dos danos causados à Bacia do Rio Doce. O desastre de Fundão despejou 62 milhões de metros cúbicos de lama na Bacia do Rio Doce, que abrange e alimenta 228 municípios em Minas Gerais e no Espírito Santo.

Durante a reunião, membros da Fundação Renova deverão apresentar alguns resultados do Programa de Monitoramento Quali-Quantitativo Sistemático (PMQQS), lançado em 2017 com o objetivo de mapear aspectos físicos, biológicos e químicos ao longa da Bacia do Rio Doce, o que permite avaliar as condições da água, da fauna e da flora da região. 

Foram convidados para a audiência pública membros da Fundação Renova, da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), da Copasa, da Fundação Ezequiel Dias, da Anvisa e do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), além de associações de moradores e pescadores.