O presidente da Comissão Extraordinária das Barragens da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, deputado Agostinho Patrus Filho (PV), protocolou solicitação para que a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) se manifeste sobre os danos na lagoa das Codornas, na Região Metropolitana de BH. O deputado apresentou requerimento após o Hoje em Dia mostrar, na edição dessa quarta (3), que o reservatório foi atingido em abril e dezembro de 2015 por rejeito de minério que vazou da usina Vargem Grande, da Vale.

A mesma solicitação foi feita ao Departamento nacional de Produção Mineral (DNPM). Os dois órgãos são responsáveis por fiscalizar a atividade minerária no Estado. “Queremos saber da Semad quais as medidas tomadas e as sanções aplicadas à empresa. O DNPM também precisa informar as vistorias que já foram feitas no complexo ITM Vargem Grande”, disse o parlamentar.

A comissão promete visitar as três lagoas – das Codornas, dos Ingleses e do Miguelão – e o complexo minerário ITM Vargem Grande para verificar irregularidades.

Multa

A Superintendência de Regularização Ambiental (Supram) Central Metropolitana informou que a Vale foi multada em R$ 75.129,42. O órgão determinou a construção de muro de isolamento para conter qualquer vazamento acidental, de estrutura auxiliar para contenção em caso de emergência e o monitoramento imediato da lagoa das Codornas.

O órgão programou nova vistoria, em março, para verificar o cumprimento de medidas para conter os vazamentos.