Um assessor jurídico do Espaço Cidadania da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), ligado ao Procon Assembleia, está sendo investigado por assédio sexual em ambiente de trabalho. A informação foi confirmada pela assessoria da ALMG nesta terça-feira (23).

Por questões de sigilo, previsto no regimento interno da casa, os nomes dos envolvidos não foram divulgados, assim como a quantidade de mulheres que fizeram acusações. “A Polícia Legislativa da Casa recebeu a denúncia e o caso está sendo investigado por uma comissão de sindicância, que tem 60 dias para concluir a apuração, prazo que não venceu”, diz a nota. 

Ainda segundo a assessoria, a denúncia foi feita formalmente à Polícia Legislativa, que é o órgão responsável pelas investigações de todos os crimes que acontecem dentro da ALMG; a apuração está a cargo do Núcleo Psicossocial. Ainda segundo a ALMG, esse núcleo também é responsável pela promoção de campanhas internas para conscientizar os servidores em relação à prevenção e ao combate dos assédios moral e sexual.