"Eu tinha medo de apertar um botão e o aparelho estragar", lembra Neusa Fernandes, de 83 anos, ao contar sobre o início do contato com o smartphone, em 2010. Aos poucos, porém, a experiência foi tornando-se mais amigável. Neusa, que é aposentada e dirige a comunicação do Clube da Maturidade, espaço voltado para a terceira idade em BH, faz parte do time de idosos que, junto ao "velhinho" pop do YouTube, marca presença nas redes sociais. 

Hoje, a mineira comemora a presença nos grupos de WhatsApp da família e afirma que, para cada dificuldade, há sempre um filho, uma neta, para ajudar. 

"A gente tem que acompanhar o desenvolmento do mundo globalizado. Não dá para ficar para trás", opina o eletricista aposentado da Cemig, Salvador Raimundo, 62, que mantém perfil no Instagram há um ano - rede que considera mais seletiva, sem tanta "besteira" quanto o Facebook.

 

Olha que cara sinica deste madruga.

Uma publicação compartilhada por Salvador Raimundo (@salvador.raimundo) em

Essa também é a opinião da professora de ensino fundamental em BH Iara Fernandes Carmo, de 66 anos, sobre estar nas redes. "Dá para fazer muita coisa legal. Eu estou no Facebook e tenho vários aplicativos. Gosto da facilidade com a qual posso me comunicar com as pessoas", conta. 

Dos últimos aprendizados, Iara relembra as atualíssimas fake news. "Tivemos, todos, que reaprender o que é verdade e o que é mentira. Pudemos perceber que, com um pouco de atenção, a gente capta que algo está fora do eixo",  afirma. 

A professora orgulha-se de contar que a mãe, aos 91 (veja acima), é adepta das pesquisas do Google. "Ela não se adaptou ao celular, mas pesquisa o que quer no computador", finalizou. 

Iara Carmo

Iara Fernandes Carmo

Da TV pro futuro

Medo é palavra que nunca combinou com a trajetória da jornalista e apresentadora mineira Roberta Zampetti, 63. Em caminho semelhante ao que fez Leda Nagle, outro grande nome da área, Zampetti investiu no vídeo por demanda, formato que, para muitos pesquisadores, sucederá a telinha.

O canal "Sou 60" cuida exclusivamente do envelhecimento. Dentre as questões, há sexualidade, tecnologia, cidadania, saúde, mercado de trabalho, comportamento, roteiros de viagem e exemplos inspiradores. "Mas é uma abordagem diferente, aberta e corajosa, com seriedade e otimismo", explicou Zampetti.

A jornalista relembra que a população está envelhecendo e que, aos poucos, as pessoas estão acordando para isso. E estão produzindo mais conteúdo, como é o seu caso. "É um mundo que, nós que passamos dos 60, temos a explorar ainda mais", contou. 

Pelo país

São Paulo/ SP

Em 2016, prestes a completar 60 anos e recém-curada de um câncer, a empresária Cláudia Grande reuniu cerca de 100 amigas e criou uma página no Facebook para comemorar a entrada à terceira idade. Em uma semana, o número de seguidoras do 'Projeto 60 anos' multiplicou-se por 10. 

Hoje, a página tem números admiráveis: conta com mais de 600 mil participantes; um dos últimos vídeos passa das 11 milhões de visualizações e Cláudia está entre as maiores blogueiras sexagenárias do mundo. Seu público, de maioria feminina, do Brasil e de fora, encontrou na rede social um   espaço de apropriação das próprias idades. 

"O sucesso dessa página é porque é sobre uma mulher de verdade", afirma Cláudia. Aos 62, ela deixou o estado de divorciada, casou-se e tem viajado mais, saído para dançar e ir ao teatro. 

"Éramos um público invisível e hoje há algumas coisas voltadas para a gente", contou a sul-mato-grossense, que tinha encontro marcado com cerca de 50 seguidoras de Belo Horizonte no Inhotim, na região metropolitana, mas precisou adiar devido ao desastre em Brumadinho. A nova  data ainda será definida. 

Dentre as pautas da página, que ela garante postar sozinha, há saúde, bem-estar e até maquiagem para mulheres +60. Os idosos, ela conta, não são necessariamente velhos. "Quando fazem algo para a gente, colocam uma mulher de 40 anos na fotografia. A gente não quer parecer com 40: a gente quer estar bem aos 60", pontuou.

Além disso, é um público fiel quando encontra uma marca apropriada, ela afirma. Mesmo assim, as indústrias parecem estar dormindo, ela destaca. Tudo isso é discutido no projeto e também nos encontros que são promovidos, trimestralmente, pela empresária em capitais brasileiras. 

Itu/ SP

Os pés calçam apenas 34, mas as postagens de Sueli Rodrigues, de 69 anos, no Instagram têm potencial para  "caminhar" rápido por todo o país. Em 20 dias de criação, já somam-se mais de 27 mil seguidores. Com feed organizado, fotos bem feitas e, principalmente, mensagens otimistas, o  @blogdasu70 mostra estilo e boa auto-estima na terceira idade. 

"Se inspiro outras mulheres, que bom. Mas eu não vou atrás de ninguém. Eu não copio e só uso o que gosto", contou, ao comentar que está aberta a parcerias - desde que combinem com ela. 

A criação do perfil no Insta teve apoio de duas colegas da assessoria da Câmara Municipal de Itu, no interior de São Paulo. Sueli é agente de segurança e porteira no local. Seu jeito para a moda chamou a atenção das meninas, que incentivaram a avó, mãe e esposa a criar conta na rede social. 

Curada de um câncer, Su evita o assunto, mas sabe que seu blog ajuda muita gente em situação semelhante. "Tem muita gente passando por essa  situação", relembra. Sua postagem sobre a queda das unhas após a quimioterapia emocionou seus "seguimores", como ela chama. 

"Recentemente, respondi uma moça de 34 anos que estava se sentindo muito para baixo. Depois que ela viu que minhas unhas estão lindas agora, ela se sentiu melhor", relatou.

Inspire-se!

O Clube da Maturidade, em Belo Horizonte, oferece o Curso de Tecnologia e Comunicação. Entre os assuntos tratados durante um semestre, estão o uso das redes sociais, de smartphones, tablets e computador, além do sistema Office. 

O curso acontece toda quinta-feira, pela manhã, na avenida Bias Fortes, 1.008, no Lourdes, região Centro-Sul da capital. Para participar é necessário ter acima de 50 anos de idade. É necessário o pagamento de taxa de contribuição. Outras informações pelo telefone (31) 3222-4977.