Os cerca de 59 mil estudantes matriculados na rede municipal de Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, retornarão às aulas presenciais, gradativamente, em 9 e 16 de agosto. O sistema remoto será mantido.

As informações foram divulgadas pela prefeitura nesta segunda-feira (26). Na rede privada, as aulas já haviam retornado. Veja abaixo o cronograma:

  • 2 de agosto: retornam professores e demais profissionais das escolas de ensino fundamental, da Educação de Jovens e Adultos (EJA), dos Centros Infantis Municipais e das creches conveniadas;
  • 9 de agosto: retornam crianças da pré-escola (4 e 5 anos), alunos do 7º, 8º e 9º ano do ensino fundamental, e estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA);
  • 16 de agosto: retornam crianças de 0 a 3 anos, e os matriculados no 1º ao 6º ano do fundamental.

De acordo com a administração municipal, a volta aos estudos ocorrerá por meio de regime híbrido, com alunos alternando períodos na escola e em casa, e adesão a protocolos de prevenção à Covid-19 (saiba mais abaixo). No entanto, os pais e responsáveis que ainda não se sentirem seguros com a estratégia poderão optar por manter os filhos em casa, com acesso a conteúdo pela internet ou via retirada de material diretamente na escola.

“O sistema prevê um rodízio de agrupamento de cada turma das unidades escolares. Portanto, cada grupo será dividido em menores, que podem ter a quantidade de alunos variada, respeitando o tamanho de cada sala de aula. Os grupos se revezam - enquanto um terá aulas presenciais na escola, outro estará em casa desenvolvendo as atividades preparadas pelo professor”, informou a prefeitura, em nota.

Protocolos

Entre as normas sanitárias que deverão ser adotadas pelas escolas, estão a previsão de aferição de temperatura de todos que entrarem no imóvel; a disponibilização de lavabos para higienização das mãos; a garantia de distanciamento de 1,5 metro entre os presentes; e o respeito à lotação máxima permitida de cada sala, o que será estabelecido, segundo a prefeitura, conforme o espaço de cada um dos cômodos.

Segundo o Executivo, as escolas de Betim passaram por melhorias durante o período de suspensão das aulas, o que incluiu reformas em cozinhas e banheiros; compras de tapetes sanitizantes, de sabão líquido e de aparelhos para aferição de temperatura; além de instalação de dispensers com álcool 70%, bem como de acrílicos nas repartições de atendimento ao público, entre outros.

As diretrizes sanitárias e pedagógicas para o retorno às aulas foram oficializadas na última quinta-feira (22) pela prefeitura por meio do decreto nº 42.803. Os protocolos foram desenvolvidos pelo Grupo de Trabalho Intersetorial, que é composto por integrantes das secretarias de Educação, Saúde e Infraestrutura. Os documentos podem ser vistos aqui.

Particulares

Em nota sobre as aulas presenciais na rede privada, a prefeitura relembrou que o funcionamento foi retomado em junho deste ano mediante autorização temporária, concedida após vistoria e firmamento de um Termo de Ajustamento Municipal (TAM) entre o Executivo e escolas particulares.

Segundo a administração municipal, os estabelecimentos podem funcionar deste que cumpram os decretos municipais e protocolos de biossegurança, que incluem, dentre outras medidas, a obediência à capacidade máxima de lotação, o distanciamento mínimo de 1,5 m, e o uso obrigatório de máscaras por parte de alunos e funcionários.

Leia mais:
Frio intenso retorna a BH na sexta; no interior, 439 cidades têm risco de declínio acentuado
RHI Magnesita abre 71 vagas de estágio a nível superior; veja como participar
BH tem mais de 254 mil casos de Covid; veja números da doença por bairro