Com o segundo maior número de casos de Covid-19 no Estado, o Município de Uberlândia voltou atrás nas determinações de funcionamento das atividades comerciais. A prefeitura da cidade do Triângulo Mineiro determinou, por até 15 dias, a proibição do funcionamento de estabelecimentos não-essenciais. De acordo com o Informe Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde, Uberlândia registrava, neste sábado (20), 2.640 pacientes infectados e 51 óbitos. A decisão foi justificada pelo prefeito Odelmo Leão (PP) numa coletiva virtual da prefeitura, realizada em conjunto a outras autoridades.

"Tenho 40 anos de vida pública, minha atividade sempre foi pautada pela saúde. Tenho a responsabilidade de tomar a decisão na hora em que tem de ser tomada. Ela deveria ser efetivada na próxima terça-feira mas, com os números crescentes de casos, decidimos antecipá-la para que o decreto tenha validade a partir de segunda-feira. Espero que a população entenda, de uma vez por todas, que é necessária a colaboração de cada um de nós. O número elevado de casos é consequência da política de testes que adotamos. Testamos 17 vezes mais do que a média geral do Estado e contatamos laboratórios", explicou. Segundo o prefeito, está sendo fechada a compra de equipamentos para a montagem de mais 10 leitos de UTI, que devem estar disponíveis até o fim do mês.

A cidade do Triângulo optou por recomendar o uso da cloroquina mesmo para pacientes com sintomas iniciais. A substância, cujo efeito no tratamento da Covid-19 é questionado em estudos internacionais, é oferecida nas unidades básicas de saúde.