A babá Eliane Vieira dos Santos, acusada de sacudir violentamente uma recém-nascida de dois meses, foi interrogada na tarde desta quarta-feira (30), no Fórum Lafayette. A agressão aconteceu no bairro Serra, região centro-sul de BH, em junho de 2012 e a criança chegou a ficar em coma com sangramento no cérebro.
 
A audiência foi realizada na sala do juízo sumariante do 1º Tribunal do Júri de Belo Horizonte. A juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues presidiu os trabalhos. O Ministério Público foi representado pelo promotor Ronaldo Assis Crawford, que teve a advogada Jéssica Maria Gonçalves da Silva como assistente de acusação. A defesa da babá ficou a cargo do advogado Thiago Marques Boaventura Borges de Amorim.
 
A babá se negou a responder às perguntas da juíza e da acusação. Dada a palavra ao advogado de defesa, ele pediu apenas que Eliane confirmasse dois depoimentos referentes ao dia dos fatos, prestados anteriormente à polícia. 
 
Confirmados os depoimentos, a juíza deu prazo de 48 horas para que cada parte ofereça as alegações finais. Em seguida, será decidido se a acusada vai ou não a júri popular.
 
Denúncia
 
Em meados de junho de 2012, a menina chegou em coma ao hospital e foi internada no CTI. Exames foram feitos e confirmaram que ela tinha sangramento no cérebro e deslocamento dos vasos da retina. Os médicos acionaram a polícia. 
 
A suspeita era que a garota havia sido chacoalhada violentamente e desenvolvido a “síndrome do bebê sacudido”. O inquérito policial concluiu que a babá foi a autora do crime. Eliane foi denunciada pelo Ministério Público por tentativa de homicídio duplamente qualificado. (* Com TJMG)