A Polícia Civil investiga se a babá de 43 anos que foi presa suspeita de dopar e tentar matar uma menina de 3 anos, em Belo Horizonte, fez outras vítimas. Aos investigadores, a mulher disse que essa seria a primeira vez que trabalhava olhando crianças. 

No entanto, a delegada Renata Ribeiro Fagundes pede que outras mães que possam ter contratado a suspeita procurem a polícia, caso os filhos tenham tido algum mal-estar enquanto estiveram sob os cuidados da babá.

A mulher nega a tentativa de homicídio, mas admite que colocava tranquilizantes nas bebidas das crianças. Ela disse que se tratava de fitoterápico para acalmar os pequenos. Porém, a polícia descobriu que, na verdade, era um medicamento que necessitava de receita médica e indicado para alterar o sistema nervoso. 

Intoxicação

A suspeita começou a ser investigada no início de janeiro, depois que a mãe de um casal de crianças a flagrou colocando comprimido na bebida do filho de 2 anos. Desconfiada, a mãe tirou foto do frasco e descobriu que era um remédio pesado.

A genitora, então, desconfiou que a filha de 3 anos que estava passando mal poderia ter sido intoxicada. Ela acionou o Samu e a criança foi hospitalizada. Na unidade de saúde, os médicos confirmaram a intoxicação medicamentosa.

Babá de luxo que tentou matar criança de 3 anos pode ter dopado outras vítimas em BH
Vários remédios de tarja preta foram apreendidos na casa da suspeita

Babá de luxo

Graduada em direito, bilíngue e moradora do bairro São Pedro, região Centro-Sul de BH. Essas foram as características que chamaram atenção da mãe para contratar a babá, que foi encontrada por meio de um site. O que a mãe não sabia era que a mulher já tinha passagem na polícia por furto.

Renata Ribeiro, da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e Adolescente, alerta para a importância de pedir referências antes de contratar profissionais. "Não pode colocar dentro de casa uma pessoa que não conhece, que você não tem referências, principalmente para cuidar de crianças", alertou. Também é fundamental, conforme a investigadora, pedir a certidão negativa de antecedentes criminais.

Prisão

Nesta semana, a Justiça expediu mandado de prisão preventiva contra a babá e, também, autorizou vistoria na casa na suspeita. Lá, a polícia encontrou vários medicamentos de sedação e tranquilizantes. A delegada Renata acredita que a suspeita não tinha a intenção de matar, mas assumiu o risco. Por isso, ela vai responder por tentativa de homicídio com dolo eventual.

Leia mais:
Babá é presa suspeita de tentar matar criança de 3 anos em BH