A Backer anunciou nesta quarta-feira (22) que está recolhendo todos os 82 lotes de bebidas da marca, atendendo determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Justiça. Na sexta-feira (17), o órgão já havia interditado todas as cervejas produzidas pela empresa com data de validade igual ou posterior a agosto de 2020. A interdição cautelar vale por 90 dias.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Prezados clientes, em razão da identificação de risco de intoxicação exógena por Dietilenoglicol em alguns produtos comercializados pela Cervejaria Backer, e em atendimento à determinação judicial contida na decisão liminar do Mandado de Segurança n.º 1000817.30.2020.4.01.3800, bem como em decorrência da notificação nº 15/2020 da Anvisa, informamos que iniciamos o recolhimento dos lotes de cervejas abaixo relacionados, nos estabelecimentos comerciais, a partir de 18/01/2020, mediante apresentação da respectiva Nota Fiscal de compra, bem como celebração de acordo de ressarcimento dos valores correspondentes aos produtos recolhidos. Quanto aos clientes,pessoa física, possuidores dos lotes elencados, que desejam entrar em contato diretamente com a empresa, poderão solicitar a coleta pelo telefone: (31) 3228-8888 em horário comercial – 2ª a 6ª de 08:00h às 17:00h e sáb de 08:00h às 12:00h Relação dos lotes de cerveja: •​CAPITÃO SENRA – LOTES L2 1609 e L2 1571 •​PELE VERMELHA – LOTES L1 1448 e L1 1345 •​FARGO 46 – LOTE L1 4000 •​BACKER PILSEN - LOTES L1 1549 e L1 1565 •​BROWN - LOTE 1316 •​BACKER D2 – L1 2007 •​BELORIZONTINA – LOTES 1348, 1546, 1487, 1593, 1557, 1604, 1474, 1081, 1075, 1088, 1078, 1104, 1144, 1136, 1172, 1110, 1159, 1166, 1147, 1176, 1169, 1187, 1205, 1197, 1215, 1227, 1253, 1244, 1260, 1275, 1272, 1269, 1295, 1307, 1301, 1304, 1322, 1334, 1354, 1373, 1388, 1379, 1392, 1398, 1383, 1376, 1406, 1370, 1412, 1415, 1424, 1428, 1421, 1433, 1436, 1446, 1455, 1440, 1467, 1464, 1479, 1482, 1493, 1506, 1718, 1518, 1521, 1534, 1552, 1574, 1580 e 1615. •​CAPIXABA – LOTE 1348 Os riscos de consumo do produto, embora ainda não comprovado que há relação direta entre o consumo e os sintomas apresentados são: gastrointestinais como dores abdominais, vômito e náusea, associados à oligúria de evolução rápida para insuficiência renal aguda, seguidos ou não de uma ou mais alterações neurológicas: paralisia facial, barramento visual, amaurose, alterações de sensório, paralisia descendente e crise convulsiva. A Cervejaria Backer reitera que está colaborando de forma integral com todas as investigações e se coloca à disposição para prestar quaisquer esclarecimentos.

Uma publicação compartilhada por Cervejaria Backer (@cervejariabacker) em

Confira os lotes:

CAPITÃO SENRA – LOTES L2 1609 e L2 1571

PELE VERMELHA – LOTES L1 1448 e L1 1345

FARGO 46 – LOTE L1 4000

BACKER PILSEN - LOTES L1 1549 e L1 1565

BROWN - LOTE 1316

BACKER D2 – L1 2007

BELORIZONTINA – LOTES 1348, 1546, 1487, 1593, 1557, 1604, 1474, 1081, 1075, 1088, 1078, 1104, 1144, 1136, 1172, 1110, 1159, 1166, 1147, 1176, 1169, 1187, 1205, 1197, 1215, 1227, 1253, 1244, 1260, 1275, 1272, 1269, 1295, 1307, 1301, 1304, 1322, 1334, 1354, 1373, 1388, 1379, 1392, 1398, 1383, 1376, 1406, 1370, 1412, 1415, 1424, 1428, 1421, 1433, 1436, 1446, 1455, 1440, 1467, 1464, 1479, 1482, 1493, 1506, 1718, 1518, 1521, 1534, 1552, 1574, 1580 e 1615.

CAPIXABA – LOTE 1348

Backer

22 casos investigados

De acordo com boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas nesta quarta (22), são 22 os casos suspeitos de intoxicação por dietilenoglicol. Mas, as notificações ainda podem aumentar pois houve a comunicação de mais casos que não atendem ao critério de temporalidade.
Até agora foram registradas intoxicações nas cidades de Belo Horizonte, Capelinha, Nova Lima, Pompéu, São João Del Rei, São Lourenço, Ubá e Viçosa.


Depoimentos

A Polícia Civil já ouviu 12 parentes de vítimas que teriam sido intoxicadas após consumir cervejas da Backer em Belo Horizonte. Duas delas prestaram depoimento nesta quarta-feira (22), na 4ª Delegacia de Polícia Civil Barreiro, no bairro Estoril, na região Oeste da capital.

As amostras recolhidas na semana passada e, também, nessa terça-feira (21), tanto da cervejaria, quanto da empresa química que vendia o monoetilenoglicol, continuam sendo analisadas pelas equipes de peritos do Instituto de Criminalística. Ainda não há previsão para a conclusão dos laudos.

A Backer afirmou que aguarda o resultado das apurações e que continua à disposição das autoridades.

Leia mais:
Polícia Civil sustenta que dietilenoglicol encontrado pela própria Backer em cervejas pode matar
Montes Claros registra caso suspeito de intoxicação por dietilenoglicol
Mapa contesta laudo independente da Backer e reafirma que água de cervejas estava contaminada