Em quase seis meses, Minas Gerais registrou 22.707 casos prováveis de dengue, que são aqueles confirmados mais os suspeitos. Três pessoas morreram, sendo uma em Conceição do Pará, uma em Uberaba e uma em Moema. Outros 13 óbitos seguem em investigação.

O balanço foi divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde, nesta segunda-feira (18). Conforme a pesquisa, houve um aumento de 253 casos em relação ao último boletim, divulgado há uma semana, quando foram registrados 22.454 casos de dengue.

Em relação à febre chikungunya, Minas Gerais registrou 9.027 casos prováveis da doença, concentrados na região do Vale do Aço, 360 a mais em relação ao último levantamento, que contabilizou 8.667 casos. Não há registros de mortes em 2018. Já em 2017, o Estado confirmou 15 óbitos por chikungunya, sendo 12 só em Governador Valadares. As outras três foram nos municípios de Central de Minas, Ipatinga e Teófilo Otoni. 

Quanto à zika, foram registrados 233 casos prováveis da doença em 2018, 11 a mais do que os 222 divulgados no último levantamento.

* Fonte: SES-MG

Leia mais:
Quase 60% dos municípios do Estado estão sob ameaça do mosquito da dengue
Mais de 20% dos municípios brasileiros têm risco de surto para dengue