Um cabo da Polícia Militar, de 35 anos, morreu após ser vítima de uma emboscada, em Ibirité, na Grande BH, na noite de segunda-feira (16). Uma criança de 1 ano e 11 meses e um jovem, de 21, também foram atingidos pelos tiros.

O crime, de acordo com o boletim de ocorrência, aconteceu no bairro Vista Alegre, por volta das 22h30. As três vítimas e o militar estavam em um Gol prata, quando bandidos armados em uma moto disparam em direção ao veículo.

O cabo reagiu e também atirou. Ele tentou deixar o local, mas perdeu a consciência, bateu no toco de uma árvore e, por pouco, o veículo não despencou em um barranco. Os criminosos ainda tentaram roubar a arma do oficial.

Ao perceberem que havia uma criança no carro, os suspeitos teriam dito: "vocês são doidos de trocar tiros com a gente". Em seguida, os suspeitos fugiram.

A PM foi acionada e socorreu os três baleados até a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Ibirité, mas o cabo chegou ao local sem vida. A criança, de acordo com os médicos, levou um tiro de raspão na cabeça e está em observação. A jovem, que é mãe do menino, foi atingida três vezes no braço. Já o marido dela não ficou ferido.

Uma das testemunhas reconheceu um dos suspeitos. Ele e o comparsa estão sendo procurados pela polícia. Contudo, até o momento ninguém foi preso. O caso será investigado pela Polícia Civil.

Tocaia

À polícia, a jovem contou que o marido é usuário de drogas e iria se internar em uma clínica de reabilitação. Ela estava com ele e o filho na casa do cunhado, que é o cabo da corporação, quando resolveram ir até a casa dela, na rua Goiás, para buscar algumas peças de roupa. 

Chegando na residência, uma moto fechou o carro do policial e o garupeiro disparou. O cabo chegou a reagir e, depois, tentou fugir do local. Porém, como estava ferido, perdeu o controle da direção e bateu em uma árvore.

A mulher disse, ainda, que por muito pouco o carro não caiu em uma ribanceira. Ela clamou para que os bandidos não fizessem mais nada e chegou a pedir socorro, já que ela chegou a cair na ribanceira. "As vizinhas logo logo vão ajudar", teria falado um dos suspeitos.

A ocorrência ainda está em andamento e a PM também mantém o rastreamento para prender os criminosos.