A Guarda Municipal fechou um bar no bairro Buritis, na região Oeste de Belo Horizonte, onde era realizada uma festa na noite deste sábado (9).

Os agentes foram até o local após receberem dez denúncias de moradores vizinhos ao estabelecimento e constataram a aglomeração de pessoas sem máscaras nas mesas e no balcão. O dono do bar foi autuado e, em caso de reincidência, o comércio poderá até ser interditado e ter o alvará cassado.

Atualmente, vigora na capital mineira um decreto municipal que permite o funcionamento apenas de comércios considerados essenciais, como supermercados, farmácias, clínicas, armazéns, açougues, postos de combustíveis, lotéricas e padarias. Para esses lugares, há ainda restrições como a obrigatoriedade do uso de máscara e o controle de entrada de clientes conforme o tamanho do estabelecimento. 

O decreto do prefeito Alexandre Kalil (PSD) proíbe o funcionamento de bares e restaurantes em Belo Horizonte. Apenas o serviço de entrega está liberado.

A população pode fazer denúncias sobre o desculprimento das medidas de isolamento para conter a pandemia do coronavírus pelo telefone 156 ou pelo site.

Em Minas, subiu para 119 o número de mortes pela COVID-19, segundo boletim epidemilógico da Secretaria de Estado de Saúde, divulgado neste domingo (10). Belo Horizonte tem, até o momento, 26 óbitos e 960 casos confirmados de coronavírus.