A Prefeitura de Belo Horizonte divulgou, na tarde desta quarta-feira (15), o protocolo de funcionamento para a reabertura do comércio na cidade. Entre as novidades, bares, restaurantes e lanchonetes poderão receber no máximo duas pessoas por mesa, cliente só entra após “teste do termômetro”, será proibido o modelo self-service e o espaço kids não poderá mais funcionar.

Apesar das diretrizes, a retomada das atividades consideradas não essenciais não tem data marcada. A PBH afirma que a flexibilização vai ocorrer assim que os indicadores epidemiológicos permitirem. Desde o dia 29 de junho, apenas os serviços considerados essenciais têm o funcionamento permitido na capital. 

De acordo com a prefeitura, o protocolo foi elaborado a partir do diálogo com representantes de cada segmento, e foi ajustado aos critérios apontados pela Vigilância Sanitária e pelo Comitê em complementação aos protocolos já vigentes. Os documentos propostos pela PBH agora serão objeto de avaliação por cada setor.

Seguundo o secretário municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão, André Reis, a intenção do protocolo é conseguir ajustar o problema de saúde ao econômico. “Os setores entendem dos negócios e suas rotinas, e a vigilância sanitária entende das melhores práticas para evitar a contaminação. A construção conjunta permite uma melhor aderência entre funcionamento do comércio e as melhores práticas sanitárias”, afirmou.

Bares, restaurantes e lanchonetes

No caso dos bares, restaurantes e lanchonetes, além da restrição do número de clientes por mesa, da aferição de temperatura e do não funcionamento dos espaços Kids, outro destaque é a exigência do distanciamento mínimo de 2,5 m entre as mesas.

O protocolo também prevê a possibilidade de o estabelecimento fazer o uso da calçada - após autorização da prefeitura -  para dispor as mesas, priorizando  alocação dos clientes em ambientes abertos.

Vestuário (Atacado e varejo)

No caso das lojas de roupa, o cliente só vai poder tocar as peças do mostruário. Não será permitido, por exemplo, provar roupas.

Em caso de troca de produto, o item devolvido ficará em uma espécie de "quarentena" na loja por 72h antes de voltar a ser disponibilizado para os consumidores. Haverá a exigência do uso de máscaras.

Shopping centers, centros de comércios e galerias de lojas

Em relação aos Shopping centers, centros de comércios e galerias de lojas, os clientes terão a temperatura aferida e as mãos higienizadas ao entrarem no local.

Funcionários que tiverem contato direto com o público deverão utilizar máscaras e protetores de acrílico no rosto.

Nesse primeiro momento de retomada, cinemas, parques de diversão e similares continuarão fechados.

Drive-in

Alternativa para os espetáculos culturais, os drive-ins também foram regulamentados no protocolo.

Nessa modalidade, está vedada a entrada de motocicletas, bicicletas, veículos conversíveis com a capota aberta, vans e similares e pessoas sem carro. Serão permitidos no máximo quatro ocupantes por veículo.

Os clientes também deverão respeitar uma distância de no mínimo 1,5 m entre os carros.

O protocolo também determina que é vedada a saída do público do veículo, exceto para ida ao banheiro.